Pages

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Alma Guerreira





 ETAPAS DE MINHA VIDA...SOFRIDAS E VENCIDAS....


Olá meus amigos(as).
Aqui estou de volta agora com novas histórias a relatar, coisas que aconteceram realmente e que marcou e me ensinou muitas coisas que com certeza se não tivesse vivenciado eu não teria aprendido tanto. Pois a escola da vida é a que melhor nos ensina como  viver e aprender e se você for um bom aluno, certamente que essas experiências vividas servirão para que no futuro você consiga separar o joio do trigo. Continuei minha vida, agora bem mais tranquila, tirando meu namorado turco doido que eu tinha. Devido à posição social dele, mais a crença muçulmana de que todo homem pode ter um harém de mulheres, o resto foi fácil rsrsrs. Amigas, eu ralei viu!! Ele era muçulmano criado conforme as leis lá da terra dos pais dele que pra meu azar não falavam uma palavra em portugues kkk com certeza falaram muito de mim e eu achei lindo pois não entendia nada kkkk do que eles diziam. Era uma familia estranha onde a mulher era tratada como escrava.
Ele foi criado com essa convicção de que mulher era apenas um objeto e mais nada. As mulheres procuravam por ele, eu mesma fui cercada na rua por duas vezes por mulheres que se diziam ser dele. Eu sempre digo que nasci na época errada, pois nunca fui submissa a ninguém, sempre lutei pelos meus sonhos e minhas vontades e não seria agora que ia deixar de sonhar. Sempre fui e sou até hoje muito independente e dona de minha vida. Isso acredite já me causou muitos problemas de relacionamento. E causa até hoje, ele me falava as coisas e eu sempre retrucava, ele não aceitava a palavra ‘’NÃO’’ e eu nunca dizia ‘’SIM’’, AMIGAS EU SOU DA ÉPOCA DA MINI-MIDI e MAXI saia, usei todas essas modas da época. Usei também as sandálias plataformas, Luis XV , saltos finíssimos  chamados de ‘’Salto Agulha’’.
Os vestidinhos mamãe Dolores, uuuu, que saudade, momento nostalgia. Rsrsrs. Os grandes decotes nas costas em vestidos de festas. As saias e calças compridas com a cintura super alta, saindo logo abaixo do busto. Calças jeans boca de sino, saias e vestidos ‘’balones’’. Enfim eu fui uma garota da moda, ou como dizia Roberto Carlos na época eu era uma garota ‘’Papo Firme’’. Ele, meu namorado não aceitava isso, queria uma garota que ficasse em casa, toda coberta e olhasse só pra ele, coitado, penou na minha mão, pois se encantou pelo oposto. Se eu estava de mini saia ele dizia: ‘’Cadê o resto do pano de sua saia? Hei, ta faltando pano ai, toma esse dinheiro e vai comprar uma roupa decente pra se cobrir.’’
Ai! Como isso me irritava! Ai já começava a discussão. Ele era ma pessoa violenta, acostumado a mandar e ser obedecido sem discutir, ameaçou de me bater várias vezes mas nunca chegou aos finalmente, rsrsrs ao invés disso, sentava-se me olhava e dizia: ‘’VOCÊ É UMA BRUXA! Me enfeitiçou, só você consegue me dizer não e  ficar impune.! Assim ficamos por longos dois anos, me cobria de presentes caros que tenho até hoje guardado como uma relíquia. Quando fiz dezessete anos ele me deu um lenço de seda pura para colocar na cabeça, 1 pala(poncho) de frio e 1 papagaio que tenho até hoje chamado TICO e que está com  quarenta e um  anos comigo e um relógio lindo com a pulseira toda banhada em ouro que também, tenho guardado. Quando fiz dezoito  anos ele me deu de presente o carro do ano. Um TL último modelo de lançamento da Volks na época, vermelho,lindo, me ensinou a dirigir, lembro que eu não era muito boa em fazer curvas, e num domingo pela manhã me pegou em casa e disse: ‘’Hoje você aprende a fazer curvas.!’’ Kkkk me levou para fora da cidade onde não tinha movimento, apenas um poste.... Esse poste era bem no meio da avenida, ele disse: ‘’Sente-se aqui e dirija, e me fez rodar em volta daquele poste até  hora do almoço...Claro sou eximia em fazer curvas né. kkk Nunca mais esqueci essa lição...
Nosso relacionamento, foi esfriando porque ele não queria meu amor e sim a minha submissão,e isso ele não teria jamais,,Um dia ele me disse ,,Bruxa...eu não vou me casar com você nunca. Porque quero mulher para eu mandar e não ser mandado por ela, e só você conseguiria isso. E ele tinha várias mulheres que ele comprava  com o dinheiro que tinha, mas eu ele não conseguia. Nunca pedi nada a ele, o que me deu foi por vontade própria como presentes em datas significativas. Certo dia, dentro de seu escritório em frente de vários amigos, ele me desacatou. Quis me humilhar e mostrar que quem mandava era ele. Me chamou em frente de todos e disse:’’ Vocês não sabem como tratar uma linda mulher, vou mostrar como se faz!’’ Enfiou a mão no bolso e tirou um pacote de notas amarradas com borrachinhas de banco. Colocou em minhas mãos e disse:’’ Bruxa me deixe em paz por hoje ta, pegue este dinheiro e vá fazer umas compras, porque hoje não quero te ver mais aqui!’’
Aquilo foi pior do que se eu levasse uma bofetada no rosto. Meu sangue ferveu, mas me controlei, e respirei fundo peguei o dinheiro, tirei a borrachinha, misturei as notas, olhei bem para ele e disse: ‘’Você  não me compra com esta porcaria de notas, tome enfia tudo no ..... seu dinheiro maldito!’’  e joguei na cara dele, ali na frente de todos os seus amigos todo o dinheiro que ele me deu. Virei às costas em desabalada carreira porque se ele me pega eu estava frita..
Me lembro muito bem da cara de susto dele ali com notas em seu pescoço, espalhadas ao chão, quando cheguei na esquina olhei para trás e vi ele saindo aos berros atrás de mim. Nunca corri tanto como aquele dia. Não sai de casa por quase um mês, pois logo entrei de férias no trabalho, ele não me procurou por 20 dias. Mas em uma tarde de sábado, ele veio em minha casa. Me pediu desculpas reconheceu que foi grosseiro e estúpido,mas também concordou que não dava mais para ficarmos juntos. Ficamos amigos, mas ele sempre que me encontrava dizia que ainda me amava. Ele é meu amigo até hoje, está um belo de um Sr. grisalho continua lindo, e continua a me chamar de BRUXA..
No próximo relato   vou contar a vocês, minha vida de casada pois logo que me separei dele, minha vizinha estava chorando no portão, e eu solicita fui ver o que era. Meu Deus Chorava por culpa do namorado..E eu me casei com esse namorado da minha vizinha.
Continue Reading...

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Será que ele vai gostar de mim ?

Olá Bebé,
Ainda não estás entre nós e nem imaginas o que já és desejado aqui na Terra. Quando tiveres um nome e idade suficientes para perceberes tudo aquilo que te quero dizer tenho a certeza de que em nenhum momento vais deixar de amar a vida, pois esta vida já te ama a ti; neste tempo, através de mim, dos teus pais que te vão gerar e de todos os amigos deles que vão querer ser teus tios e tias.


Ainda não chegaste à idade dos porquês e dos pontos de interrogação e já perguntas quem sou eu? Sou aquela que vai deixar de se sentir filha única a partir do dia em que a tua (pronto, nossa!) mãe ler que “sim” no teste de gravidez – o milésimo que ela ainda há-de comprar, tal é a vontade de te ter que qualquer descuido já acha que vens aí... Mas descansa que isto é só em teoria e tu hás-de ser sempre o primogénito. O ventre dela será a estrear para ti e eu nunca cheguei a ser um espermatozóide catalão. Confuso? Não estejas! Os teus pais só me adoptaram com o coração e têm treinado comigo (digo-te já que têm passado em todas as provas com notas que rebentam com a escala) o que é serem na prática pais de alguém. É que, sabes bebé, em teoria os candidatos ao título são muitos, qualquer um pode chamar carinhosamente “filhota” para aqui e para ali… Agora, cuidar no presente incondicionalmente, como se o gerar, parir e criar, num passado que nunca existiu, fossem meros acessórios de um amor que é amor e pronto não está ao alcance de todos.
Eu tenho pais verdadeiros e para esses ficou talvez a parte mais chata: noites mal dormidas (com os teus, hoje, só se for noitadas com copos de vinho do Porto e conversas intermináveis), xixis na cama ou mudas de fraldas mal cheirosas (sabes, com a tua mãe, agora, o que eu faço é “gregoriar-me” – ela já conhece a minha expressão quando o vómito vem aí…), as doenças típicas dos primeiros anos ou os choros a meio da madrugada por deitar fora a chucha. Mas há coisas que eu já fui preparando o caminho para ti e espero que um dia consigas agradecer-me. Porque contigo de certeza que os (teus) pais não serão tão picuinhas quando à mesa disseres que estás cheio, fizeres caretas aos legumes ou nunca te negares à sobremesa (ao contrário da sopa); já sabem bem o que a casa gasta com o meu exemplo! Quando chegares à altura de pedires para ir ao WC, mas nenhum deles à partida tiver vontade de se levantar para te levar, descansa que eles irão logo e nem vão suspirar, pois eu já bati o recorde das vezes que o faço com eles – aliás, a tua mãe já estranha quando a poupo dessas famosas idas a meio de qualquer coisa.
Sabes, mano (deixas-me tratar-te assim?), quando os teus pais me receberam na vida deles eu já tinha idade para estar educada e formada enquanto ser humano. Os meus, felizmente, trataram bem disso. Mas de facto somos todos seres inacabados e em constante aprendizagem. É por isso que afirmo, na minha idade adulta com tamanho de criança (que vais querer que brinque contigo), que no lar do colo, do abraço, do sorriso e da ternura dos teus pais tornei-me ainda mais gente. Eles tiveram o dom de me ensinar, moldar, sublinhar valores e princípios que tu vais perceber que farão de ti um ser abençoado por nasceres com uma combinação única de genes e sangue que eu não tenho, mas que conheço muito bem. Alegra-te com isso e dá-lhe sempre o devido valor, porque este “de onde vens” irá acompanhar-te nas tuas escolhas e decisões para o “aonde vais”. Já estás a ser educado, antes de estares aqui, porque os teus pais continuam a educar-se a si mesmos e um com o outro nesta que é a viagem de serem um casal que sabe errar, perdoar, aceitar, lutar e amar todos os dias. E tu vais ser sem sombra de dúvidas um espelho que reflectirá amor, acima de qualquer coisa. Sabes porquê? Porque mais do que respirares amor entre quatro paredes, na casa que foi comprada também a pensar em ti, vais ler amor em cada olhar dos dois para ti. Vem de dentro para fora, contagia-nos! A história de amor dos teus pais é rara. E por isso especial. Eu que me lembro de cada pormenor vou fazer questão de ser a tua contadora de histórias de serviço, só que neste caso nada é ficção. Tu vais crescer a ouvir o mais maravilhoso conto de amor que alguma vez há-de ser inventado… O deles, que também tem o príncipe que vem de longe para conquistar a mais bela princesa, que com entrega e amor se faz rainha com um propósito tremendo. Até a tua primeira casa (o ventre da tua mãe) foi há poucos dias cuidadosamente colocado em limpezas para te receber a ti em breve. Como vês, só falta mesmo tu apareceres!
Olha, bebé, estou ansiosa à espera do dia em que me caibas no colo e disseres o meu nome pela primeira vez. Como será que me vais chamar: mana, tia ou alguns dos infinitos nomes que a mãe já inventou para mim? Será que vais gostar de mim? Vou esforçar-me por te merecer. Assim como faço por regar a planta do que me une aos teus pais enquanto família e a cada um deles enquanto amigos. Eu já te amo, muito! Sabes que nunca “pedi” um bebé aos meus verdadeiros pais como peço aos teus? Num querer que é demasiado forte para ser explicado com os laços da utopia da nossa árvore genealógica. No entanto, há uma coisa importante que quero que saibas por mim: poucos vão ser os momentos em que eu serei maior do que tu, nenhuns vão ser os instantes em que poderei andar eu contigo ao colo, não vamos poder jogar à apanhada, vais ter de pedir a outra pessoa que te ensine a saltar à corda, não vais ver-me a andar na bicicleta ao lado da tua nem a amparar-te quando te sentares nela pela primeira vez, não vai valer a pena pedires-me para ir jogar à bola para o quintal contigo, não vou ser capaz de te dar banho uma única vez e quando for buscar-te à escola também não poderás contar comigo para te carregar a mochila pesada… Vais gostar de mim da mesma maneira? A culpa não é tua. Nunca penses isso. Também não é minha. Não é de pai ou mãe alguma no mundo. Se algum dia te sentires triste por eu não poder fazer nenhuma destas coisas contigo; ainda que te sintas assim por achares que eu também estou triste; não fiques e lembra-te sempre das coisas boas e diferentes que eu posso vir a fazer contigo e tu comigo. Podemos brincar ao faz de conta… faz de conta que és tu o mais velho e portanto tomas tu conta de mim, boa?!
É que a tua responsabilidade neste mundo é imensa e ainda nem o conheces… mas não tenhas medo, terás sempre aqui uma alma (com pouco corpo) para te acompanhar. Prometo-te que sim. Ao mesmo tempo que te aviso: seres o filho de quem vais ser é de facto por si só algo que fará de ti um grande Homem, por isso orgulha-te e agradece a Deus esse presente.
Ah, é verdade, lá em casa (para além de mim que passo lá a vida) também tens dois gatos, o Gaudí e a Matilde. Trata-os bem que eles também já gostam de ti!

Da tua "irmãzinha" MAFY
 
Fonte:  http://gotanocharco.bloguepessoal.com/
  
Para comprar o livro dessa grande escritora > http://lojinha.espaco-cucas.com/livraria/89-mafaldisses.html
Continue Reading...

O Imperfecta.

 Adriana Dias.

 

Tenho oi.
meus ossos são de cristal
e minha alma se reflete neles,
sentindo, expondo-se,
partindo-se, reconstuindo-se.

tenho oi
minha esclerótida é azul,
minha alma se reflete nela;
meus sonhos são azuis
e azul é o céu
onde minha alma plana,
ascende, encontra-se infinita.

tenho oi,
tenho marcas, cicatrizes
nos ossos, na alma.
tenho sinais na pele,
no rosto, nos olhos,
como todas as pessoas
mas de um jeito muito singular.

tenho oi
e na minha fragilidade
aprendi a respeitar todos os homens,
mulheres e crianças.

tenho oi
e faço dos meus sintomas
um caminho de cura,
de compreensão, de pode contar comigo.

tenho oi;
minha fragilidade me lembra do que é firme,
sólido, real:
a fé.

minha história me denuncia
o que movimenta adaptável:
a esperança.

minha compreensão de mim mesma e do outro
me permite o que é eterno,
insolúvel e inquebrável:
o amor.
Continue Reading...

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Alma Guerreira


 ETAPAS DE MINHA VIDA...SOFRIDAS E VENCIDAS....


Era um sábado a tarde, eu só trabalhava de segunda a sexta. Estava no fundo do quintal lavando minha roupa  quando ouvi vozes dentro de casa. Entrei a tempo de ouvir o desgraçado dizer a minha mãe. Pegue suas coisas e suma daqui ! Imediatamente eu respondi por ela : ‘’Quem vai sair daqui é você, e desta vez é pra nunca mais  voltar seu cafajeste, sem vergonha, desgraçado e outros adjetivos que prefiro não repetir .Saia agora daqui e nunca mais coloque essas patas imundas aqui nesta casa e outra coisa quero você na segunda feira na primeira hora no cartório para passar a escritura desta casa no meu nome não é nem no nome de minha mãe , mas no meu nome !
Ele me olhou e com um sorriso irônico nos lábios disse: ''  Antes de fazer isso vou te deixar uma lembrancinha minha !''. E ergueu o braço para me agredir, fui mais rápida que ele, peguei uma cadeira e quebrei na cabeça dele, a seguir peguei uma faca de mesa e disse : “Venha já faz muito tempo que quero fazer isso  e é hoje que vou te matar desgraçado infeliz.!’’
Há que Deus me perdoe, mas se ele encara se eu matava ele ali mesmo. Mas ele não fez isso não,saiu derrubando tudo pelo caminho, me xingando, e dizendo que nunca passaria nada para meu nome, só que meu vizinho que ouviu tudo um Sr.responsável e sério sai no portão para segundo ele me defender caso fosse necessário. Chamou ele e disse umas verdades, inclusive que eu estava com cinco advogados a minha disposição e poderia deixar ele bem encrencado se eu quisesse. Bom para encurtar o assunto na segunda feira 9h. da manhã lá estava eu no cartório, a escritura já estava lavrada em meu nome assinamos e vim embora. Enfim livre daquele monstro.
Ele tentou várias vezes me cercar na rua, mas se deu mal, pois ameacei denunciá-lo na policia e ele sossegou, se procurou minha mãe não sei, nunca me contou. Mas meu ódio por ele continuava muito forte, ali guardadinho no fundo do meu coração e por conta disso quase fiz uma loucura. Certo dia sai cedo, muito cedo mesmo para comprar pão, meu vizinho estava molhando as plantas dele e me viu saindo, ele tinha um fusquinha vermelho bem lindinho e eu sempre brincava com ele dizendo: Um dia desses o Sr. deixa eu dar uma voltinha com ele? Ao me ver ele disse: ‘’Quer ir no meu carro ?’’ Eu agradeci e ele disse :’’Não vai e aproveita passa na feira e me compra umas coisinhas que preciso, por favor’’. 
Eu aceitei, peguei a chave e sai. Eu nem sabia dirigir direito, estava aprendendo ainda e quem  me ensinava era meu namorado, mas fui. Antes não tivesse feito isso. Fiz as compras e já estava voltando quando o monstro surgiu na minha frente de bicicleta. NÃO  PENSEI EM MAIS NADA HÁ NÃO SER EM ACABAR COM ELE. Acelerei e parti pra cima, meu DEUS hoje ao recordar disso chego a me arrepiar, ia estragar a minha vida pra sempre. Mas como DEUS sempre esteve comigo e nunca me abandonou, mais uma vez me mostrou o caminho certo. Um muro e a varanda de uma casa. Quando eu já estava quase em cima dele eu vi um pezinho, sim um pezinho de criança. Ele estava com uma criança na frente da bicicleta sentada na cadeirinha. Depois fiquei sabendo que era seu próprio filho um garotinho de 4 anos que a mãe abandonou com ele pois não aguentou os maus tratos também. 
Ao ver aquele pezinho meu coração parou, mas o carro não. Não dava mais tempo de parar, já estava quase em cima dele, virei o volante bruscamente e fui parar dentro da varanda de uma casa, que para minha sorte não tinha ninguém  sentada nela.Tenho uma cicatriz até hoje em cima de meu lábio superior que não me deixa esquecer desse acontecimento, ele nem viu nada. Seguiu em frente sem imaginar que poderia estar morto. Eu fiquei ali chorando, com o carro do vizinho amassado, menor sem carteira, mas aliviada e agradecida a DEUS por não permitir que eu carrega se nos ombros a responsabilidade de ter tirado a vida de alguém. Mais uma vez meus patrões entraram em cena e resolveram a minha situação, paguei o estrago do carro, a mulher ganhou um muro e uma varanda nova e ficou tudo bem. Segui minha vida agora em paz, tinha minha casa, tinha sossego, minha mãe estava comigo e a cada dia que passava se tornava mais minha amiga, pois eu aos poucos fui reciclando ela...rsrsrs
Ensinei ela a se vestir  melhor a se cuidar mais, a sair, passear porque antes ela era um bichinho do mato, o monstro não deixava ela usar calças compridas, e nem sair de casa sozinha. Não usava um batom na boca porque isso para ele era coisa de prostituta. Mas eu aos pouco fui mudando isso, e pasmem ela me saiu melhor que encomenda.TAMBÉM  QUEM NÃO GOSTA DE CONFORTO NÉ. RSRSR.
Enfim parecia que tudo estava caminhando para melhor  na minha vida. Aos poucos eu ia esquecendo as maldades que ele fazia comigo, como o envenenamento de meu cachorrinho picolé, a acetona que ele jogava em minhas roupas novas que eu comprava, natal sem presentes, as noites angustiadas em que eu ficava sozinha desde bem pequenina, onde eu sentia as ratazanas passearem sobre meu corpo, em um quarto de madeiras velhas e sujas e cheia de buracos de onde saiam esse animal asqueroso, as noites em que eu acordava com aquela boca asquerosa e aquelas mãos malditas e atrevidas me tocando. Enfim vida nova.É como eu sempre digo:
’UM DIA EU VOU CRESCER, VOU SER ADULTA,VOU VIRAR GENTE GRANDE E NÃO VOU DEIXAR NINGUÉM MAS NINGUÉM MESMO ME MAGOAR MAIS’’
E ACHO QUE FINALMENTE ESSE DIA CHEGOU...CRESCI, VIREI GENTE GRANDE, FIQUEI RESPONSÁVEL POR MINHA MÃE COM 18 ANOS. EU JÁ TINHA UMA CASA PARA MANTER E MUITAS COISAS PARA MUDAR A COMEÇAR POR MINHA MÃE, APESAR DE QUE RESPONSÁVEL POR MIM MESMA EU JÁ ERA DESDE OS 7 ANOS DE IDADE.  É muito importante que a gente consiga domesticar nossos sentimentos. Construi amigos, enfrentei derrotas mais, venci obstáculos, bati na porta da vida e disse-lhe:  ‘’Não tenho medo de vive-la. No meu próximo relato, vocês  irão conhecer uma nova etapa de minha vida, e garanto a vocês que tem muita coisa  para contar!’’
Agradeço a todos que me acompanharam neste período  e me aguardem, pois tenho coisas  hilariantes e maravilhosas de minha vida a vocês. Inclusive a presença de Deus me ensinando e me mostrando que nunca estamos só...
Continue Reading...

sábado, 6 de novembro de 2010

Astro Inteligente



Signos

Depois de abrir este e-mail, não há mais volta. Abaixo estão verdadeiras descrições de signos do Zodíaco. Leia o e-mail e encaminhe-o.  Isto é real, e se tentar ignorar ou mudar isto, a primeira coisa que você notará amanhã será um dia estranho, que só acabará à meia-noite.


ARIES - o Diabo de desafio enérgico

Confiante e entusiasta.
Divertido.
Ama um desafio.
EXTREMAMENTE impaciente.
Às vezes egoísta.
Fusível curto (enfurece facilmente).
Vivido, inteligência apaixonada e afiada.
Gosta de sair.
Perde interesse depressa - facilmente entediado.
Egoístico.
Inteligente
Mandão
Corajoso e afirmativo.
Tende a ser físico e atlético.
16 anos de sorte se você repassar.


VIRGEM - O Perfeccionista

Dominante em relações.
Conservador.
Quer ter sempre a última palavra.
Argumentativo.
Preocupado.
Muito inteligente.
Antipatiza com barulho e caos.
Ansioso.
Trabalhador.
Leal.
Bonito.
Fácil de falar.
Difícil de agradar.
Severo.
Prático e muito exigente.
Frequentemente tímido.
Pessimista.
7 anos de sorte se você repassar.


ESCORPIÃO - o Intenso

Muito enérgico.
Inteligente.
Pode ser ciumento e/ou possessivo.
Trabalhador.
Grande beijador.
Pode ficar obsessivo ou reservado.
Guarda rancor.
Atraente.
Determinado.
Amores que dão em relações longas.
Falador.
Romântico.
Pode ser às vezes egocêntrico.
Apaixonado e emocional.
4 anos de sorte se você encaminhar.


LIBRA - o Harmonizador

Agradável a todos os que estão em sua companhia.
Indeciso.
Tem um sex appeal sem igual.
Criativo, enérgico e muito social.
Odeia estar só.
Calmo, generoso.
Muito amoroso e bonito.
Gosta de flertar.
Cede muito facilmente.
Tende a deixar para depois.
Muito crédulo.
9 anos de sorte se você encaminhar.

AQUÁRIO - o Amado


Otimista e honesto.
Doce personalidade.
Muito independente.
Inventivo e inteligente.
Amigável e leal.
Pode parecer não emotivo.
Pode ser um pouco rebelde.
Muito teimoso, mas original e sem igual.
Atraente no lado de dentro e fora.
Personalidade excêntrica.
11 anos de sorte se você encaminhar.

GÊMEOS - o Tagarela

Inteligente e engenhoso.
Parece estar sempre de saída, muito falador.
Vivo, enérgico.
Adaptável mas com necessidade de se expressar.
Argumentativo e franco.
Gosta de mudança.
Versátil.
Ocupado, mas às vezes nervoso e tenso.
Fofoqueiro.
Pode parecer superficial ou incoerente.
Só e sujeito a mudança.
Bonito fisicamente e mentalmente.
5 anos de sorte se você encaminhar.


LEÃO - O chefe

Muito organizado.
Precisa de ordem nas vidas deles/delas - como estar em controle.
Gosta de limites.
Tende a assumir tudo.
Mandão.
Gosta de ajudar os outros.
Social e gosta de sair.
Extrovertido.
Generoso, amável.
Sensível.
Energia criativa.
Confiantes neles próprios.
Bons amantes.
Fazer a coisa certa é importante para Leão.
Atraente.
13 anos de sorte se você encaminhar.


CÂNCER - O Protetor

Emocional.
Pode ser tímido.
Muito amoroso e gentil.
Bonito.
Sócios excelentes para toda a vida.
Protetor.
Inventivo e imaginativo.
Cauteloso.
Tipo de pessoa sensível.
Necessidade de ser amado pelos outros.
Magoa-se facilmente, mas simpático.
16 anos de sorte se você encaminhar.


PEIXES - o Sonhador

Bom coração e pensativo.
Muito criativo e imaginativo.
Pode ficar reservado e vago.
Sensível.
Não gosta de detalhes.
Sonhador e irreal.
Simpático e amoroso.
Desinteressado.
Bom beijador.
Bonito.
8 anos de sorte se você encaminhar.


CAPRICÓRNIO - O Paciente

Pessoa agressiva e sábia.
Prático e rígido.
Ambicioso.
Tende a estar bonito.
Humorístico e engraçado.
Pode ser um pouco tímido e reservado.
Frequentemente pessimistas.
Tendem a agir antes de pensar e podem ser às vezes pouco amigáveis.
Guarda rancor.
Gosta de tudo que é diferente
Gosta de competição...
Obtêm o que eles querem.
20 anos de sorte se você encaminhar.


TOURO - o Resistente

Encanta, mas é agressivo.
Pode parecer enfadonho, mas não é.
Trabalhador duro.
Amável.
Forte, tem resistência.
Seres sólidos e estáveis e seguros dos modos deles/delas.
Não procuram atalhos.
Orgulhosos da beleza deles/delas.
Pacientes e seguros.
Fazem grandes amigos e dão bons conselhos.
Bom coração.
Amam profundamente - apaixonados.
Expressam-se emocionalmente.
Propenso a temperamento - acessos de raiva ferozes.
Determinado.
Cedem aos seus desejos frequentemente.
Muito generoso.
12 anos de sorte se você encaminhar.


SAGITÁRIO - O otimista


Favorece o ego.
Orgulhoso.
Gosta de luxo, e de jogar.
Social, gosta de sair.
Não gosta que lhe imponham responsabilidades.
Frequentemente fantasia.
Impaciente.


Aventureiro
Tem muitos amigos.
Coquete, gosta de flertar.
Conquistador e "galinha" enquanto não se apaixona de verdade.
Não gosta de seguir regras.
Às vezes é hipócrita.
Inconsequente, vive se arrependendo do que fala.
Antipatiza com espaços apertados e roupas apertadas.
Não gosta que duvidem dele.
Bonito por dentro e por fora.
14 anos de sorte se você encaminhar

  
Fonte: email recebido
Continue Reading...

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Vida após a morte



O que há do outro lado da vida? O que diz a ciência? É possível ter contato com quem já morreu? A incrível história de uma adolescente que intriga os médicos. Para a medicina convencional, um caso de epilepsia. Mas para um médico especialista, espíritos que tentam se comunicar. Em outro caso, pai e mãe que garantem se corresponder com o filho morto em um acidente. E ainda, um homem que afirma ter passado horas em um necrotério dado como morto.

A vida e a morte. Desde o nascimento do homem, um mistério espera para ser desvendado. O que é morte? O que acontece quando o corpo é tomado pela ausência de batimentos? A ciência tenta identificar como pessoas consideradas clinicamente mortas, de repente abrem os olhos e retornam à vida. Célia é paisagista e tem  47 anos de idade. Para ela a morte não significa o fim. Desde pequena ela afirma conversar com espíritos de pessoas que já se foram, ou como ela mesmo diz, almas que já desencarnaram. A certeza de que as conversas com pessoas mortas não eram frutos de sua imaginação, só viria anos depois quando Célia viveu uma  experiência de quase morte. Relatos como o de Célia são frequentes. Cada  pessoa tem uma maneira única de descrever o momento da passagem da vida para a morte.

Ficção? Realidade? É exatamente isto que a ciência tenta desvendar. Dr. Sérgio Felipe é médico psiquiatra e há anos trata casos que a medicina tradicional não consegue explicar. Raquel e Maria Rita são voluntárias e fazem parte da equipe do Dr. Felipe. Elas ajudam nos experimentos que tentam provar a existência de espíritos, ou melhor, de vida após a morte. Em uma sala que simula uma unidade de terapia intensiva, as duas voluntárias são  monitoradas. O objetivo é que elas entrem em transe. Raquel e Maria Rita  se definem como médiuns. Segundo elas, emprestam o corpo para dar voz aos espíritos. O especialista quer constatar o que acontece no corpo das voluntárias. O que sentem as duas mulheres que afirmam incorporar espíritos de pessoas que já se foram ? Para o especialista, a constatação das alterações físicas significa um avanço. Um elo embrionário de ligação entre a ciência e o mundo espiritual. A cada evidência um novo mistério é solucionado. É a nova face da ciência onde nem tudo pode ser comprovado.Paola tem dezesseis anos. Há três sofre de crises nervosas classificadas pela medicina como epléticas. Mas nem mesmo a ciência consegue achar a cura para Paola. Aos treze anos de idade ela teve uma crise classificada pelos médicos como epilética, a partir daí ela nunca mais se livrou das crises. Há poucos meses, Paola começou a frequentar o consultóro do Dr. Sérgio, que avalia as crises de Paola de uma maneira que a medicina convencional não consegue dimensionar. Durante a entrevista com Paola nossa equipe é surpreendida por uma de suas crises. Paola parece não ser a mesma adolescente do início da entrevista. Frágil, ela parece assustada sem entender muito bem o que aconteceu. Os pais acostumados a presenciar situações semelhantes tranquilizam Paola. Com medo a adolescente pede a presença do Dr. Sergio.

Os pais de Paola contam que no início, tudo parecia contornável. Achavam que o tratamento com medicamentos para epiléticos deveria resolver o problema, mas aos poucos as crises aumentaram e se transformaram. Os médicos já não conseguiam identificar se as crises de Paola eram somente eplepsia. Paola ficou um mês e meio internada, mas os médicos não conseguiram controlar as crises. Foi quando os pais decidiram procurar o Dr. Sérgio Felipe.

Na história da medicina, quando o coração de um ser humano para de bater significa que estamos mortos.
Para a ciência, a simples constatação de que o corpo não é mais comandado pelo cérebro, já basta como prova. Na contramão da ciência, a ausência de batimentos marca uma nova etapa,  um recomeço. É neste cenário que surgem novas dúvidas: qual o momento exato da morte? Quando a alma deixa nosso corpo? O que acontece depois? 

Em 2002 Agnaldo Santos foi vítima de uma tentativa de homicídio. A experiência mudaria para sempre a vida dele. Agnaldo afirma de que foi declarado morto e levado para o necrotério de um hospital de Osasco. Ele achou que nunca mais voltaria a andar. Durante nossa entrevista, ele relembra o que teria sido o momento mais importante de sua vida quando ultrapassou a barreira entre a vida e a morte. Em 2002 Agnaldo Santos sofreu uma tentativa de homicídio, recebeu três facadas e depois de horas no hospital, ele afirma que os médicos tinham certeza que ele estava morto. O hospital de Osasco não confirma a versão de Agnaldo.

O que dizem os cientistas e médicos diante de relatos tão surpreendentes como o de agnaldo? Para o diretor da unidade de psiquiatria do hospital das clínicas, Dr. Frederico Leão, a ciência trabalha com evidências. para o neurocirurgião Jorge Pagura, as versões de quem diz ter conhecido o outro lado da vida são semelhantes.

A ciência tem uma teoria. No momento exato da morte o nosso cérebro é bombardeado durante aproximadamente de 30 segundos a três minutos. Com a saída do sangue e a diminuição dos níveis de oxigênio, as células disparam um último impulso elétrico. Começa um  efeito  em cascata, que aumenta intensivamente a atividade do cérebro. Esta explosão cerebral é conhecida como “eqm” ou experiência quase morte, que segundo os médicos, pode ser a explicação de sensações como  flutuar sobre o corpo ou  enxergar luzes.

Nossa equipe segue para a cidade de Suzano no interior de São Paulo. Temos um encontro marcado com Rosa Miriam Batista, terapêuta que afirma ter contato com pessoas que já morreram . Hoje rosa consegue falar com naturalidade sobre suas visões e conexão com os que já se foram, mas quando criança teve dificuldade em encarar com tranquilidade tudo o que diz enxergar. Ela afirma até hoje conversar com mortos e carrega na memória lembranças de outras vidas.
Há um ano uma tragédia mudou  definitivamente a vida de João e Maria Del Carmem. Luis, o filho mais velho do casal, morreu em um acidente de carro. Era o início de uma dor que os pais já sabiam bem como era.
Luis, não foi o primeiro filho do casal a morrer. Pela segunda vez os dois, pai e mãe, teriam que unir forças para  superar o sofrimento inexplicável da perda de um filho.

Luis tinha 18 anos quando morreu. Era um adolescente extrovertido e tinha muitos amigos. A morte repentina arrasou a família que se agarrou na religião para amenizar a dor. Meses depois, o conforto chega através de  uma notícia vinda de um centro espírita frequentado por João e Maria Del Carmem. Médiuns dizem ter notícias de Luis, psicografam, interpretam, transcrevem  mensagens do filho que se foi.

Emocionado o pai lê um dos trechos das cartas que já somam dezenas e servem como um fio de esperança e conforto para o casal. É uma maneira de aliviar o sofrimento, matar a saudade de Luis, que foi tirado de forma violenta do convívio da família. Para os pais de Luis a ideia de que o filho vive uma outra vida no plano espiritual  é inconstestável. Fé? Alternativa para superar a dor?  Ou simplesmente fuga? Aos olhos da ciência a única verdade comprovada é a dúvida.

vídeos da reportagem
http://www.sbt.com.br/conexaoreporter/videos/Default.asp?id=8e2b45d280658835ff9613cbfc72b723
http://www.sbt.com.br/conexaoreporter/videos/Default.asp?id=9217a6f3edf2f971807caf24e685911b
http://www.sbt.com.br/conexaoreporter/videos/Default.asp?id=bfd6fbcb106e6f4a1ac6e8b920822e3a
http://www.sbt.com.br/conexaoreporter/videos/Default.asp?id=3e92ee85ee5ae32eb2bce5181cee7462

Fonte : http://www.sbt.com.br/conexaoreporter/

Assisti essa reportagem ontem no sbt, achei muito interessante, antigamente não era muito falado desse tipo de assunto, mais hoje em dia se tornou, natural interessante e curioso falar disso.

 Continuando o assunto achei essa reportagem também mais da revista veja.

Vida após morte




Se você pretende ser imortal, cuide bem daqueles
que continuarão a carregar seu
DNA, com carinho,
amor e, principalmente, dedicação"

Muitos cientistas, talvez a maioria, não acreditam em Deus, muito menos na vida após a morte. Os argumentos não são fáceis de contestar. Um professor de matemática me perguntou o que existia de mágico no número 2. "Por que você não acredita que teremos três ou quatro vidas, cada uma num estágio superior?" O que faria sentido, disse ele, seriam os números zero, 1 e infinito. Zero vida seria a morte; uma vida, aquela que temos; e infinitas vidas, justamente a visão hinduísta e espírita.
Outro dia, um amigo biólogo me perguntou se eu gostaria de conviver bilhões de anos ao lado dos ectoplasmas de macaco, camundongo, besouro e formiga, trilhões de trilhões de vidas após a morte. "Você vai passar a eternidade perguntando: ‘É você, mamãe?’, até finalmente encontrá-la." Não somos biologicamente tão superiores aos animais como imaginávamos 2 000 anos atrás. "É uma arrogância humana", continuou meu amigo biólogo, "achar que só nós merecemos uma segunda vida."
O cientista Carl Sagan adverte, como muitos outros, que vida só se tem uma e que devemos aproveitar ao máximo a que temos. "Carpe diem", ensinava o ator Robin Williams, "curtam o sexo e o rock and roll." Sociólogos e cientistas políticos vão argumentar que o céu é um engenhoso truque das classes religiosas para manter as massas "bem-comportadas e responsáveis".
Aonde eu quero chegar é que, dependendo de sua resposta a essa questão, seu comportamento em terra será criticamente diferente. Resolver essa dúvida religiosa logo no início da vida adulta é mais importante do que se imagina. Obviamente, essa questão tem inúmeros ângulos e dimensões mais completas do que este curto ponto de vista, mas existe uma dimensão que poucos discutem, o que me preocupa. Eu, pessoalmente, acredito na vida após a morte. Acredito que existem até provas científicas compatíveis com as escrituras religiosas. A genética mostra que você continuará vivo, depois de sua morte, no DNA de seus filhos. Seu DNA poderá ser eterno, ele continuará "vivo" em nossa progênie, nos netos e bisnetos. "Nossa" vida continua; geração após geração, teremos infinitas vidas, como pregam os espíritas e os hindus.
Mais interessante ainda, seus genes serão lentamente misturados, através do casamento de filhos e netos, com praticamente os de todos os outros seres humanos da Terra. Seremos lentamente todos irmãos ou parentes, uma grande irmandade, como rezam muitos textos místicos e religiosos. Por isso, precisamos ser mais solidários, fraternos uns com os outros, e perdoar, como pregam todas as religiões. A pessoa que hoje você está ajudando ou perseguindo poderá vir a ser o bisavô daquela moça que vai um dia se casar com seu bisneto.
Seremos todos um, católicos, anglicanos, protestantes, negros, árabes e judeus, sem guerras religiosas nem conflitos raciais. É simplesmente uma questão de tempo. Por isso, temos de adotar um estilo de vida "bem-comportado e responsável", seguindo preceitos éticos e morais úteis às novas gerações.
Não há dúvida de que precisaremos curtir mais o dia-a-dia, mas nunca à custa de nossos filhos, deixando um planeta poluído, cheio de dívidas públicas e previdenciárias para eles pagarem. Estamos deixando um mundo pior para nós mesmos, são nossos genes que viverão nesse futuro. Inferno nessa concepção é deixar filhos drogados, sem valores morais, sem recursos, desempregados, sem uma profissão útil e social. Se não transmitirmos uma ética robusta a eles, nosso DNA terá curta duração.
"Estar no céu" significa saber que seus filhos e netos serão bem-sucedidos, que serão dignos de seu sobrenome, que carregarão seus genes com orgulho e veneração. Ninguém precisa ter medo da morte sabendo que seus genes serão imortais. Assim fica claro qual é um dos principais objetivos na vida: criar filhos sadios, educá-los antes que alguém os "eduque" e apoiá-los naquilo que for necessário. Por isso, as mulheres são psicologicamente mais bem resolvidas quanto a seu papel no mundo do que os homens, com exceção das feministas.
Homens que têm mil outros objetivos nunca se realizam, procurando a imortalidade na academia ou matando-se uns aos outros. Se você pretende ser imortal, cuide bem daqueles que continuarão a carregar seu DNA, com carinho, amor e, principalmente, dedicação. 

O TEXTO ABAIXO FOI COPIADO DO FÓRUM - RELATÓRIO ALFA, O QUAL REPRODUZ UMA MATÉRIA DA REVISTA VEJA, DE MAIO DE 2005.

Os Vivos e as outras Vidas


É possível que a existência humana, tão complexa e rica, se dissolva quando o coração pára ? Com uma resposta prática para essa questão crucial e a promessa de comunicação direta com os mortos, o Espiritismo tornou-se a religião – ou, pelo menos, a segunda opção religiosa – de 40 milhões de Brasileiros.
..............................
Gabriela Carelli, Editora

O homem passa boa parte do tempo projetando o futuro. Descobrir o mundo, aprender novas lições, apaixonar-se, gerar e criar filhos, perseguir objetivos, aspirar à felicidade. Tudo isso compõe um ritual de celebração da vida e torna tão rica a aventura humana que uma reflexão crucial se impõe: é possível que a existência, tão complexa, se dissolva feito fumaça assim que o coração e o cérebro param de funcionar? Desde tempos imemoriais o homem se recusa a acreditar nessa fatalidade. Todas as religiões, sem exceção, enxergam na morte o início de outro tipo de existência, que começaria pela sobrevivência de uma parte da essência humana – chame-se a ela de alma, espírito ou qualquer outro nome. A crença na vida após a morte é universal. Os brasileiros, claro, não são exceção. Entre nós, talvez mais do que entre outros povos, não apenas se crê na eternidade da alma, mas se dá como certo que a reencarnação e a comunicação com os mortos são possíveis.

Há nisso um sincretismo religioso tipicamente brasileiro. De acordo com o IBGE, 72% dos brasileiros declaram-se católicos, e a doutrina da Igreja Católica não concebe a comunicação direta entre mortos e vivos. Pelo menos não entre mortais comuns e mortos idem. A comunicação entre santos e mortais é admitida pela doutrina católica. Mas apenas quando ocorre um milagre. Coisa rara, como se sabe. Na prática, boa parte desse contingente católico também dirige sua fé ou sofre a influência de outro credo que cresce no Brasil : o Espiritismo. Segundo essa doutrina, codificada em 1857, na França, por Allan Kardec – pseudônimo do pedagogo Hippolyte Léon Denizard Rivail –, a alma de todo ser humano morto reencarna tantas vezes quantas forem necessárias para que, devido às boas ações, ela se purifique. Quando atinge o patamar mais alto, torna-se um espírito puro, livre de imperfeições, e não mais retorna ao corpo físico. O Espiritismo também crê que, com algum treino, qualquer pessoa pode se comunicar com os mortos. A questão é : Para que fazer isso ? Há várias respostas possíveis. A primeira é receber conselhos e orientação daqueles que já superaram os constrangimentos da existência corpórea. A segunda diz respeito à dor humana. Imagine uma mãe que chora a perda de um filho. Pode haver mais conforto que um contato espiritual, no qual ele lhe assegura que passa bem na vida póstuma ?

No princípio era o medo. E o medo se fez crença. Para o sociólogo alemão Max Weber (1864-1920) essa seria a maneira mais simples de explicar o surgimento das religiões nas sociedades humanas. Por temor à fome, aos perigos e à morte, em determinada fase de sua evolução cultural, a humanidade apegou-se ao fervor religioso. Com ele veio a crença na vida eterna e no renascimento da alma e até do corpo físico em uma ou sucessivas existências. Veio também a idéia de que é possível a comunicação entre vivos e mortos. De uma maneira ou de outra, as convicções acima estão presentes em quase todas as religiões, mesmo nas que renegam essas facetas. Quando um católico reza para um santo de sua devoção ou quando, em caso de milagre, uma figura sagrada lhe aparece em carne e osso ou em forma éterea, está se dando uma espécie de comunicação entre vivos e mortos. Os Budistas negam a existência de uma alma substantiva, mas acreditam na transmigração do carma – conjunto das ações dos homens e suas conseqüências – em algo que só pode ser definido como espírito.


O Brasil sobressai nas estatísticas mundiais como a pátria do Espiritismo de inspiração kardecista – nome que deriva do francês Allan Kardec, estudioso positivista do fim do século XIX que produziu uma versão cientificista dos fenômenos religiosos focados na vida depois da morte. Segundo a FEB, mais de 40 milhões de pessoas seguem a doutrina de Allan Kardec no Brasil. Apenas 2% dos brasileiros se dizem Espíritas nos censos oficiais. A imensa maioria simplesmente acrescenta, sem drama de consciência, os ensinamentos de Kardec aos das religiões que professam oficialmente. Funcionam no país 10.000 Sociedades Espíritas. Eles eram apenas 3 000 no começo dos anos 90. Duzentas editoras publicam somente livros voltados para a Comunidade Espírita. Já foram vendidos 22 milhões de exemplares de sete livros escritos por Allan Kardec no Brasil.

A razão do sucesso é a mesma que alavanca esse tipo de crença em todo o mundo – e alavancou no passado: a rejeição da idéia de que o sofrimento, o som e a fúria sem significado da vida humana possam ser totalmente em vão.

"O Espiritismo conforta seus seguidores porque oferece explicações para todas as mazelas da vida e coloca o sofrimento como uma forma de purificação da alma", diz Antonio Flávio Pierucci, sociólogo especialista em religiões da Universidade de São Paulo. O Espiritismo é mais direto, mas oferece um produto bastante similar ao das demais religiões. Todas prometem um mundo melhor além-túmulo, em geral em contato próximo com o esplendor do Divino. O que o Espiritismo tem de próprio, ainda que não seja um monopólio seu, é o fato de acenar com a certeza de que, no futuro, haverá outras vidas, quantas forem necessárias, para tirar as manchas da alma. "A doutrina católica não ensina aos fiéis como lidar com a dor que os mortos deixam nos vivos nem explica as injustiças da vida. O sucesso do Espiritismo deriva justamente dessa capacidade", diz o frei Luiz Carlos Susin, professor de teologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

A crença maciça na reencarnação e na comunicação com os mortos não é um privilégio brasileiro. Uma pesquisa recente mostrou que 51% dos americanos acreditam em espíritos e 27% crêem em reencarnação. O que nos diferencia são a respeitabilidade alcançada por essas crenças na sociedade brasileira e as dimensões do Espiritismo no País.

Nos Estados Unidos, os negros e os índios cultivavam práticas semelhantes, mas elas foram perseguidas até a extinção pelos protestantes – para eles, o conceito de encarnação era coisa do diabo, não de espíritos.

Conclui Ceres Medina, antropóloga
Fonte: Revista Veja 

Filmes sobre vida após a morte :

1. Ghost  (( é muito lindo recomendo))
2. O Sexto Sentido (( da muito medo rsrs assisti mais morri de medo uiii ))
3. Os Outros (( da medo também rsrs recomendo mais não assista de noite ))
4. Amor Além da Vida (( é perfeito esse assisti  muito ele recomendo e muito ))
5. Cidade dos Anjos (( há é lindo demais para quem adora filmes romanticos e acredita em amor esse é o filme ideial))
6. A Casa dos Espíritos (( esse ainda não assisti mais parece ser muito bom, vo assistir ^^ ))
7. O Mistério da Libélula (( muito bom recomendo também ))
8. Um Olhar do Paraíso ((tambem ainda não assisti mais to anciosa pra assistir ele, parece ser muito bom  ))
9. Minha Vida na Outra Vida (( também vou assistir ^^ ))
10. Nosso Lar (( ainda não vi quase vi ele no cinema mais tava anciosa pra ver resident evil rsrs mais vo ver ele ^^ )
11. E se fosse verdade ( não poderia deixar de falar desse filme eh claro é um dos melhores filmes que já vi assisti mais de 8 vezes esse filme e ainda to procurando ele pra comprar é muito bom mesmo, incluse coloquei ele online no outro blog)
Espero que tenham gostado desse post, sei que fico enorme mais quando impolgo no assunto não tem jeito rsrs, espero que gostem também dos filmes ^^.
 

 
 Fonte: Imagens do Google
Continue Reading...

Milagres




Eu realmente acredito em milagres, mais em milagres mesmo milagres divinos, obra de Deus mesmo,se ele foi capaz de criar um ser tão perfeito como o ser humano porque não seria capaiz de fazer milagres em nossas vidas como forma de suas vontade, sim nosso ser supremo pode fazer milagres e nois da a prova dia-a-dia. Estamos aqui falando de milagres e não de conhecidencias como por questão de tempo, igual acontece com o atacante de futebol quando a bola passa (por questão de décimos) antes de a sua cabeça chegar ao que podemos chamar de ponto de encontro ou ela é desviada antes pelo pé de algum zagueiro. Mais sim de milagres aqueles enfermos realmente muito doentes desinganados pelos médicos, ou muitas vezes em qual voltam para sua casa para passar o pouco tempo que os restam com sua família.
Deus coloca a sua mão sobre tal, que acredita ser merecedor e faz La um belo milagre em sua vida, desde quando nada acontece se não for da vontade divina, nossas mentes são muito pobres em conhecimento ainda para entender a mente de nosso senhor supremo, mais tudo que ele faz é claro que é para nosso bem, afinal de contas ele é nosso Pai !  
O pouco de experiência que eu tenho, tenho ouvido sempre pessoas contando sobe milagres divinos acontecidos em suas vida, ou até mesmo na vida de amigos, parentes ou pessoas próximas.  Muitas pessoas se sentem desprivilegiadas por n terem tido um milagre divino pensando que só tem ele, quem é doente, mais sim todos nos vivemos de um milagre o milagre da vida, de poder viver, respirar, falar, sorrir, chorar, correr, gritar, comer, onde muitas pessoas não conseguem fazer coisas tão simples sozinhas, e mesmo assim são felizes e se sentem um milagre divino.
Estamos falando aqui da moça que andava pela rua, distraída pela rua e por questão de milímetros não fui atropelada por um ônibus Circular, um desses transportes públicos, sabe?  Da criança que passa correndo com o farol aberto, do médico em uma cirurgia muito complicado e chega a alguns segundos perder o seu paciente, á aquela mãe grávida que sofre um acidente de carro e não sai com um arranhão se quer, isso não seria milagre divino, se não for eu não sei o que é,não sei mais quem eu sou !

Definição de Milagre :  Milagre (do latim miraculum, do verbo mirare, "maravilhar-se") é um fato dito extraordinário que não possui uma explicação científica. Para os crentes, sua realização é atribuída à omnipotência divina, é considerado como um ato de intervenção de Deus (ou de deuses) no curso normal dos acontecimentos.

Milagre 

Talita, de apenas 8 aninhos, estava brincando, mas não deixou de ouvir os pais conversando sobre seu irmão, André, que estava muito doente. O pai falou emocionado:- É muito difícil admitir, mas somente um milagre poderá salvar nosso filho! Não temos nenhuma condição de pagar pela cirurgia que o Andrezinho precisa...só um milagre...
Ao ouvir aquilo, Talita correu para o seu quarto e pegou um vidro de gelatina cheio de moedas, escondido no armário. Contou três vezes para saber quanto tinha. O valor precisava ser exato, não podia errar. Em seguida, colocou o dinheiro de volta dentro do vidro e saiu de casa sem os pais perceberem.
Depois de andar bastante, Talita chegou onde queria, numa farmácia. Esperou o farmacêutico lhe dar atenção, mas nada. Esfregou os sapatos no piso, tossiu, e nada. Foi então, que pegou uma das moedas e bateu no balcão. 
O farmacêutico, olhou para ela, já irritado e perguntou:
- O que você quer, menina? – Ele nem deixou Talita responder e continuou:
- Eu estava conversando com o meu irmão que não vejo há anos e você vem me interromper...diga logo o que quer!
E, Talita, com a pureza de uma criança, falou:
- Meu irmãozinho André está muito doente...e eu vim aqui para comprar um milagre!
O farmacêutico ficou ainda mais aborrecido e disse:
- Ora, garota, não tenho tempo a perder com bobagens de crianças. Volte para sua casa!
Mas Talita não desistiu e disse ao farmacêutico:
- Papai e mamãe falaram que meu irmãozinho tem uma coisa ruim crescendo dentro da cabeça dele e que, só um milagre pode curar meu irmão... me ajuda, moço, preciso comprar esse milagre. Me diz, quanto custa?
Ao escutar a menina, o farmacêutico, mais calmo, respondeu:
- Não vendemos milagres aqui, menina. Desculpa, mas não posso ajudar você!
Talita, não acreditando no que o farmacêutico disse, implorou:
- Por favor, moço, eu vou pagar, eu tenho dinheiro. Se não der, posso conseguir mais dinheiro. Por favor, quanto custa um milagre?
Nesse momento, Nelson, o irmão do farmacêutico, apareceu. Se aproximou de Talita e perguntou:
- Que tipo de milagre seu irmãozinho precisa?
A menina, então, respondeu:
- Não sei... só sei que ele tá muito doente... a mamãe falou que ele precisa ser operado... mas o papai não tem dinheiro... aí eu quero pagar com esse dinheiro que tá aqui dentro do vidro.
Nelson, emocionado com a situação daquela menininha, perguntou:
- E quanto você tem aí dentro desse vidro?
E, Talita, respondeu baixinho:
- Dez reais e 11 centavos. É todo o dinheiro que eu tenho... mas se for preciso, posso arrumar mais.
Nelson pensou um pouco e disse para Talita:
- Puxa, que coincidência! Dez reais e 11 centavos, é exatamente o preço de um milagre para irmãozinhos.
Disse isso, pegou o dinheiro com uma das mãos e com a outra, pegou a mãozinha de Talita, dizendo:
- Me leve até sua casa. Quero ver se tenho o tipo de milagre que seu irmão precisa.
Nelson era um cirurgião, especializado em neuro-cirurgia. Ele operou o irmão de Talita com sucesso e sem custo algum. Meses depois, o menino voltou para casa completamente curado.
A família novamente estava reunida e feliz.
A mãe não se cansava de repetir:
- Foi um milagre ...um milagre real....gostaria de saber quanto custou.
Nesse momento Talita deu um sorriso. Ela sabia exatamente o preço daquele milagre....dez reais e 11 centavos, mais a sua fé.
LIÇÃO DE VIDA:
A fé é o começo de tudo.



Indicação do vídeo Alma Guerreira.
Continue Reading...

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Alma Guerreira




ETAPAS DE MINHA VIDA...SOFRIDAS E VENCIDAS....

Então amigos como eu estava dizendo. O meu príncipe era mesmo poderoso na cidade,  kkkk e é turco.  Dono de uma concessionária da Wolks, de um aras de cavalos puro sangue, de três fazendas e de várias outras lojas na cidade. Nesse mesmo dia já fui para casa em um carro do ano importado, foram dois anos de minha vida  bastante movimentada. Há esqueci de dizer !  Eu estava noiva quando nos reencontramos de um oficial da aeronáutica, que morava em outra cidade. Tadinho com 30 dias desmanchei o noivado, devolvendo a aliança por carta.
Ufa ! Nesse intermédio de meu namoro e noivado teve outras histórias. Como sempre acontece comigo tudo diferente rsrsrs . Esse rapaz que foi meu noivo, já me paquerava desde lá atrás quando eu cantava, namorico de criança eu né, porque ele já tinha  mais idade. Só que eu ainda criança não sabia o que fazer, porque o monstro sempre me perguntava: Ta namorando? Como ele é?  É grande ou é pequeno? Já te beijou?  Ui era horrível ele me fazia as perguntas mais obscenas que se possa imaginar, a respeito dos meninos que ele via comigo sim ele via tudo, pois sempre me seguia.
Então eu não queria e não deixava ninguém me tocar. Quando nas minhas férias fiz uma pequena viajem, na volta encontrei ele meu noivo de nome W........no trem. Qual foi minha surpresa, um moreno lindo e simpático nem parecia aquele menino magrinho e feio de minha adolescência. Fiquei muito feliz em encontrá-lo terminamos a viajem juntos, na chegada ele me acompanhou até minha casa no mesmo táxi, muito cavalheiro, educadíssimo, já na aeronáutica. Começamos a namorar. Após 6 meses de namoro ficamos noivos, pensa...eu noiva...kkkkk Ficou combinado que nos casaríamos e eu  me mudava com ele para a cidade dele. Mas ai apareceu o turco né, eu me apaixonei perdidamente por ele e terminei o noivado.
Tive outros namorados, mas o monstro sempre se metia no meio e destruía tudo. Mas, antes de continuar essa história vou voltar  um pouquinho lá para trás. Assim vocês vão entender melhor o que aconteceu ! Desculpe, mas as recordações  agora vem aos borbotões na minha lembrança, e minha amiga aqui tá me cobrando  kkkkk...
Ufa! Como me recordo nitidamente de tudo. Voltemos, pois a minha casa e ao meu trabalho. Como já disse no capitulo anterior, eu estava trabalhando para 5 advogados, além de atender a gráfica e fazer revisão no jornal ainda fazia um bico a noite  em um escritório de contabilidade. Tinha uma vida bastante agitada e bem movimentada também. Resumindo eu sai as 7 da manhã e só voltava por volta de 11h da noite para casa. Minha mãe  que já me tratava bem melhor. Ai como dói dizer isso mas era a minha realidade. Todo o dinheiro que eu ganhava, entregava nas mãos dela e isso a deixava muito feliz. A ela não importava como eu ganhava, alías nem perguntava.
Acreditem meus amigos ’’EU COMPRAVA O AMOR DE MINHA MÃE’’Graças a Deus nunca odiei minha mãe, cobrei muito sim ! Cobrei seus carinhos, cobrei sua atenção, seus cuidados que nunca tive, mas isso é outro episódio que vou relatar mais adiante. Ela, minha mãe sempre me esperava a noite na varandinha de minha casa mas uma noite isso não aconteceu. Cheguei, encontrei a porta da sala  aberta, entrei estava tudo escuro, minha mãe estava  no quarto deitada com todas as luzes apagadas. Nossa casa como já comentei era super pequena não tinha como se esconder, entrei já perguntando o que houve, ela não respondeu, fingiu estar dormirdo, não tinha energia elétrica na minha casa.
Usavamos lampião de querosene. Acendi um e fui ver  o que tinha acontecido, quando olhei o rosto de minha mãe a revolta, o ódio, a raiva tomou conta de todo o meu corpo. O olho direito dela era uma bola de sangue, hematomas roxo em volta de todo o rosto  e marcas em seu pescoço. E ainda deixou um recado o desgraçado que dizia assim : ‘’A  próxima será você ! ‘’
Preparei uma salmoura com água fria natural tirada do poço, pois não tínhamos água encanada e nem geladeira, fiz compressas, cuidei dela como pude, e assim que raiou o dia providenciei um táxi e a levei para o hospital, lá todos me conheciam devido ao meu trabalho no jornal. Deixei ela internada, teve fraturas no nariz e no maxilar, fui para o meu trabalho ,lá chegando já encontrei um dos meus patrões vou aqui chamá-lo de Dr.K..  ele não conhecia a minha  história, aliás ali ninguém sabia  nada da minha vida, fora do trabalho.
Eu me sentei ao lado dele e disse: ‘’ Dr. K..tenho uma amiga que está passando por momentos muito ruins em sua vida, e veio me pedir ajuda hoje, será que o Sr. pode me ajudar me orientando, como ela pode agir?’’ Ele era advogado da vara de família no fórum. Contei o acontecido, inclusive que a amiga era assediada pelo padrasto. Nossa tive uma aula de direito, inclusive com o Dr. K se colocando a minha disposição para me assesorar se assim fosse necessário.
Acho que já disse  anteriormente que a casa que morávamos era o terreno comprado por minha mãe e  a casa construída pelas mãos de nós 3. Só que a escritura estava no nome dele, então eu precisava saber que direito eu tinha nisso tudo. Procurei meu outro patrão Dr. R...e fui perguntando o que queria saber ele exercia a advocacia trabalhista e me orientou dizendo: ‘’Esse homem não tem o que discutir é passar a escritura dessa casa imediatamente para o nome de sua amiga, caso contrário fale comigo e cadeia nele. ! ’’ Exultei !, estava chegando minha hora, quando ele soube então que esse homem era casado e que já vivia com essa outra mulher ‘’minha mãe’’ há 15 anos e que a amiga ‘’eu’’ era tutelada como filha, inclusive ele recebendo salário família em meu nome, disse: ‘’Se você quiser é só entrar na justiça. Ela tem o mesmo direito que os filhos legítimos uma vez que detém sua tutela e a menina é menor ainda.’’
Sai   do meu trabalho naquele dia com novas perspectivas de vida, finalmente eu ia me livrar daquela peste, não ia ser fácil eu sabia mas eu estava bem amparada agora com 5 advogados a minha disposição cada qual em uma área diferente eu podia chegar nele agora do jeito que eu queria. E cheguei, atropelei ! Passei por cima  e fui com tudo!





Continue Reading...

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Alma Guerreira

ETAPAS DE MINHA VIDA...SOFRIDAS E VENCIDAS....



Nessa mesma época eu conheci um rapaz que como tudo na minha vida é diferente e esquisito esse também não foi diferente. Sai pra fazer serviço de banco para meu patrão em uma linda tarde de segunda feira. O banco era bem pertinho do escritório, fui andando quando, aproximou-se um rapaz, cabelos longos, barba por fazer e lindos olhos negros um rosto bem branco e um sorriso contagiante em cima de uma bicicleta onde só tinha as duas rodas e o guidon para ser conduzida, não tinha o selim, isto é o assento para sentar velha  e barulhenta, pneu careca aff.. enfim um esculacho.
Caindo  aos pedaços kkkkk ele se equilibrando praticamente em pé me disse  com a maior naturalidade.. Quer uma carona? Não respondi...e ele insistiu.....Oiiiii.Quer uma carona??
kkkkkk. Não consegui segurar o riso. Olhei para ele já rindo muito e respondei com outra pergunta>
Se eu aceitar,onde você  vai me colocar?  ‘’migas me ferrei!!!!!!’’
Ele imediatamente parou jogou a bicicleta no chão e me pegou no colo, isso mesmo ali na rua  pleno movimento da Av. Brasil centro da cidade, horário de pico. As pessoas todas passando e olhando e eu apavorada e pela primeira vez em minha vida sem reação, não sabia o que fazer. Ele disse: diga onde você vai e te levarei no colo, pasmem eu apenas balbuciei bem baixinho:  Vou no banco.
Era só atravessar a rua que  já chegava ao banco, e foi o que ele fez, ele atravessou a rua comigo nos braços, me colocou no chão com muito cuidado dentro do banco dizendo: Pronto minha princesa, quer que eu te espere? Eu apenas balancei a cabeça, pois nem falar eu conseguia. kkkkk fiz   o gesto que não.
Migas eu não sabia o que dizer, aliás eu já nem lembrava mais o que tinha que fazer no banco, apenas balbuciei..não..obrigada...ele fez uma mesura beijando minha mão, saiu e lá se foi catar a bicicleta dele que ficou jogada na calçada do outro lado da rua foi catar a bicicleta dele que ficou jogada na calçada do outro lado da rua. Eu, Aff  fiquei ali sem saber o que fazer ou com quem falar, meu rosto parecia que ia pegar fogo de tanta vergonha que eu estava.
Nem o nome dele eu sabia, nem de onde vinha,  corri na porta para perguntar, ele já tinha partido. Eu claro me senti uma princesa de verdade, nunca fui tratada com tanto carinho e tanto respeito e delicadeza. Mesmo desconfiando desse carinho todo eu me senti muito bem Isso tudo aconteceu em meados de janeiro de 1970. Nunca mais eu vi meu príncipe encantado. Fevereiro, mês de carnaval e eu adorava brincar carnaval, brincava as 4 noites seguidas era a primeira que chegava e a última que saia do clube.
Tinha só um clube social na cidade onde era freqüenta do pela nata da sociedade, e adivinha quem era o presidente? kkkk sim é isso mesmo, meu patrão, então eu estava em casa.
Nesse mesmo ano foi também realizada aqui no meu Estado a primeira transmissão da televisão ainda preto e branco e eu fui  filmada brincando o carnaval fantasiada de havaiana, mas assim bem simples mesmo apenas um sarongue nos quadris e uma mini blusinha com colar de flores e um arranjo de cabelo. E vejam o que é o destino ! Ele meu príncipe assistiu em outra cidade em uma roda de amigos me reconheceu  e disse: Essa garota vai ser minha namorada e minha princesa. Todos riram é claro. ‘’ Eu confirmei essa história tempos depois..’’
O escritório em que eu trabalhava ficava nos fundos de uma lanchonete e na qual foi minha surpresa dias depois ao sair do trabalho para fazer um lanche, quem eu encontro?
Logo entro  na lanchonete  pedi meu lanche percorri com o olhar as pessoas que ali estavam, não reconheci ninguém, o atendente disse: 10 mnts. e mando entregar, agradeci e sai.
Em 10mnts, meu lanche foi entregue por 1 rapaz lindo, bem vestido, cheiroso aparentando ter  uns 30 anos mais ou menos com um sorriso lindo disse: Posso lhe acompanhar no seu lanche minha princesa? AI... MEU CORAÇÃO DISPAROU SENTI MEU ROSTO CORAR E COMECEI A TREMER.
Sua princesa? Questionei, e ele Sim, hoje exatamente na data de hoje está fazendo 52 dias que carreguei uma princesa nos meus braços e nunca mais esqueci. Estava a sua procura, e o destino te trouxe de volta pra mim. É claro que a minha fome passou né.. kkk começamos a conversar, meu lanche ficou de lado e dai meus amigos teve inicio uma longa e linda história de amor.
Que duraram 2 anos e meio de muito amor, carinho e loucuras também porque ele é muito louco até hoje. Meu príncipe agora bem vestido, barba feita, cabelos cortados e encaracolados lindo de morrer era nada mais do que nada menos do que dono da metade da minha cidade. Empresário poderoso e bem quisto na cidade. Meu namorado dos olhos azuis, já fazia parte do meu passado, a sua família muito rica não permitiu nosso namoro, e ele ainda muito jovem não tinha vontade própria para lutar por mim...
Esses olhos azuis foram apenas namorico de criança, pois eu tinha só 14 anos e ele  se não me falha a memória 17 anos. Nos reencontramos mais tarde sim, mas isso vocês vão saber quando chegar a hora rsrsrsrs...,


Continue Reading...

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Alma Guerreira





 ETAPAS DE MINHA VIDA...SOFRIDAS E VENCIDAS....


Olá meus amigos(as).
Aqui estou de volta agora com novas histórias a relatar, coisas que aconteceram realmente e que marcou e me ensinou muitas coisas que com certeza se não tivesse vivenciado eu não teria aprendido tanto. Pois a escola da vida é a que melhor nos ensina como  viver e aprender e se você for um bom aluno, certamente que essas experiências vividas servirão para que no futuro você consiga separar o joio do trigo. Continuei minha vida, agora bem mais tranquila, tirando meu namorado turco doido que eu tinha. Devido à posição social dele, mais a crença muçulmana de que todo homem pode ter um harém de mulheres, o resto foi fácil rsrsrs. Amigas, eu ralei viu!! Ele era muçulmano criado conforme as leis lá da terra dos pais dele que pra meu azar não falavam uma palavra em portugues kkk com certeza falaram muito de mim e eu achei lindo pois não entendia nada kkkk do que eles diziam. Era uma familia estranha onde a mulher era tratada como escrava.
Ele foi criado com essa convicção de que mulher era apenas um objeto e mais nada. As mulheres procuravam por ele, eu mesma fui cercada na rua por duas vezes por mulheres que se diziam ser dele. Eu sempre digo que nasci na época errada, pois nunca fui submissa a ninguém, sempre lutei pelos meus sonhos e minhas vontades e não seria agora que ia deixar de sonhar. Sempre fui e sou até hoje muito independente e dona de minha vida. Isso acredite já me causou muitos problemas de relacionamento. E causa até hoje, ele me falava as coisas e eu sempre retrucava, ele não aceitava a palavra ‘’NÃO’’ e eu nunca dizia ‘’SIM’’, AMIGAS EU SOU DA ÉPOCA DA MINI-MIDI e MAXI saia, usei todas essas modas da época. Usei também as sandálias plataformas, Luis XV , saltos finíssimos  chamados de ‘’Salto Agulha’’.
Os vestidinhos mamãe Dolores, uuuu, que saudade, momento nostalgia. Rsrsrs. Os grandes decotes nas costas em vestidos de festas. As saias e calças compridas com a cintura super alta, saindo logo abaixo do busto. Calças jeans boca de sino, saias e vestidos ‘’balones’’. Enfim eu fui uma garota da moda, ou como dizia Roberto Carlos na época eu era uma garota ‘’Papo Firme’’. Ele, meu namorado não aceitava isso, queria uma garota que ficasse em casa, toda coberta e olhasse só pra ele, coitado, penou na minha mão, pois se encantou pelo oposto. Se eu estava de mini saia ele dizia: ‘’Cadê o resto do pano de sua saia? Hei, ta faltando pano ai, toma esse dinheiro e vai comprar uma roupa decente pra se cobrir.’’
Ai! Como isso me irritava! Ai já começava a discussão. Ele era ma pessoa violenta, acostumado a mandar e ser obedecido sem discutir, ameaçou de me bater várias vezes mas nunca chegou aos finalmente, rsrsrs ao invés disso, sentava-se me olhava e dizia: ‘’VOCÊ É UMA BRUXA! Me enfeitiçou, só você consegue me dizer não e  ficar impune.! Assim ficamos por longos dois anos, me cobria de presentes caros que tenho até hoje guardado como uma relíquia. Quando fiz dezessete anos ele me deu um lenço de seda pura para colocar na cabeça, 1 pala(poncho) de frio e 1 papagaio que tenho até hoje chamado TICO e que está com  quarenta e um  anos comigo e um relógio lindo com a pulseira toda banhada em ouro que também, tenho guardado. Quando fiz dezoito  anos ele me deu de presente o carro do ano. Um TL último modelo de lançamento da Volks na época, vermelho,lindo, me ensinou a dirigir, lembro que eu não era muito boa em fazer curvas, e num domingo pela manhã me pegou em casa e disse: ‘’Hoje você aprende a fazer curvas.!’’ Kkkk me levou para fora da cidade onde não tinha movimento, apenas um poste.... Esse poste era bem no meio da avenida, ele disse: ‘’Sente-se aqui e dirija, e me fez rodar em volta daquele poste até  hora do almoço...Claro sou eximia em fazer curvas né. kkk Nunca mais esqueci essa lição...
Nosso relacionamento, foi esfriando porque ele não queria meu amor e sim a minha submissão,e isso ele não teria jamais,,Um dia ele me disse ,,Bruxa...eu não vou me casar com você nunca. Porque quero mulher para eu mandar e não ser mandado por ela, e só você conseguiria isso. E ele tinha várias mulheres que ele comprava  com o dinheiro que tinha, mas eu ele não conseguia. Nunca pedi nada a ele, o que me deu foi por vontade própria como presentes em datas significativas. Certo dia, dentro de seu escritório em frente de vários amigos, ele me desacatou. Quis me humilhar e mostrar que quem mandava era ele. Me chamou em frente de todos e disse:’’ Vocês não sabem como tratar uma linda mulher, vou mostrar como se faz!’’ Enfiou a mão no bolso e tirou um pacote de notas amarradas com borrachinhas de banco. Colocou em minhas mãos e disse:’’ Bruxa me deixe em paz por hoje ta, pegue este dinheiro e vá fazer umas compras, porque hoje não quero te ver mais aqui!’’
Aquilo foi pior do que se eu levasse uma bofetada no rosto. Meu sangue ferveu, mas me controlei, e respirei fundo peguei o dinheiro, tirei a borrachinha, misturei as notas, olhei bem para ele e disse: ‘’Você  não me compra com esta porcaria de notas, tome enfia tudo no ..... seu dinheiro maldito!’’  e joguei na cara dele, ali na frente de todos os seus amigos todo o dinheiro que ele me deu. Virei às costas em desabalada carreira porque se ele me pega eu estava frita..
Me lembro muito bem da cara de susto dele ali com notas em seu pescoço, espalhadas ao chão, quando cheguei na esquina olhei para trás e vi ele saindo aos berros atrás de mim. Nunca corri tanto como aquele dia. Não sai de casa por quase um mês, pois logo entrei de férias no trabalho, ele não me procurou por 20 dias. Mas em uma tarde de sábado, ele veio em minha casa. Me pediu desculpas reconheceu que foi grosseiro e estúpido,mas também concordou que não dava mais para ficarmos juntos. Ficamos amigos, mas ele sempre que me encontrava dizia que ainda me amava. Ele é meu amigo até hoje, está um belo de um Sr. grisalho continua lindo, e continua a me chamar de BRUXA..
No próximo relato   vou contar a vocês, minha vida de casada pois logo que me separei dele, minha vizinha estava chorando no portão, e eu solicita fui ver o que era. Meu Deus Chorava por culpa do namorado..E eu me casei com esse namorado da minha vizinha.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Será que ele vai gostar de mim ?

Olá Bebé,
Ainda não estás entre nós e nem imaginas o que já és desejado aqui na Terra. Quando tiveres um nome e idade suficientes para perceberes tudo aquilo que te quero dizer tenho a certeza de que em nenhum momento vais deixar de amar a vida, pois esta vida já te ama a ti; neste tempo, através de mim, dos teus pais que te vão gerar e de todos os amigos deles que vão querer ser teus tios e tias.


Ainda não chegaste à idade dos porquês e dos pontos de interrogação e já perguntas quem sou eu? Sou aquela que vai deixar de se sentir filha única a partir do dia em que a tua (pronto, nossa!) mãe ler que “sim” no teste de gravidez – o milésimo que ela ainda há-de comprar, tal é a vontade de te ter que qualquer descuido já acha que vens aí... Mas descansa que isto é só em teoria e tu hás-de ser sempre o primogénito. O ventre dela será a estrear para ti e eu nunca cheguei a ser um espermatozóide catalão. Confuso? Não estejas! Os teus pais só me adoptaram com o coração e têm treinado comigo (digo-te já que têm passado em todas as provas com notas que rebentam com a escala) o que é serem na prática pais de alguém. É que, sabes bebé, em teoria os candidatos ao título são muitos, qualquer um pode chamar carinhosamente “filhota” para aqui e para ali… Agora, cuidar no presente incondicionalmente, como se o gerar, parir e criar, num passado que nunca existiu, fossem meros acessórios de um amor que é amor e pronto não está ao alcance de todos.
Eu tenho pais verdadeiros e para esses ficou talvez a parte mais chata: noites mal dormidas (com os teus, hoje, só se for noitadas com copos de vinho do Porto e conversas intermináveis), xixis na cama ou mudas de fraldas mal cheirosas (sabes, com a tua mãe, agora, o que eu faço é “gregoriar-me” – ela já conhece a minha expressão quando o vómito vem aí…), as doenças típicas dos primeiros anos ou os choros a meio da madrugada por deitar fora a chucha. Mas há coisas que eu já fui preparando o caminho para ti e espero que um dia consigas agradecer-me. Porque contigo de certeza que os (teus) pais não serão tão picuinhas quando à mesa disseres que estás cheio, fizeres caretas aos legumes ou nunca te negares à sobremesa (ao contrário da sopa); já sabem bem o que a casa gasta com o meu exemplo! Quando chegares à altura de pedires para ir ao WC, mas nenhum deles à partida tiver vontade de se levantar para te levar, descansa que eles irão logo e nem vão suspirar, pois eu já bati o recorde das vezes que o faço com eles – aliás, a tua mãe já estranha quando a poupo dessas famosas idas a meio de qualquer coisa.
Sabes, mano (deixas-me tratar-te assim?), quando os teus pais me receberam na vida deles eu já tinha idade para estar educada e formada enquanto ser humano. Os meus, felizmente, trataram bem disso. Mas de facto somos todos seres inacabados e em constante aprendizagem. É por isso que afirmo, na minha idade adulta com tamanho de criança (que vais querer que brinque contigo), que no lar do colo, do abraço, do sorriso e da ternura dos teus pais tornei-me ainda mais gente. Eles tiveram o dom de me ensinar, moldar, sublinhar valores e princípios que tu vais perceber que farão de ti um ser abençoado por nasceres com uma combinação única de genes e sangue que eu não tenho, mas que conheço muito bem. Alegra-te com isso e dá-lhe sempre o devido valor, porque este “de onde vens” irá acompanhar-te nas tuas escolhas e decisões para o “aonde vais”. Já estás a ser educado, antes de estares aqui, porque os teus pais continuam a educar-se a si mesmos e um com o outro nesta que é a viagem de serem um casal que sabe errar, perdoar, aceitar, lutar e amar todos os dias. E tu vais ser sem sombra de dúvidas um espelho que reflectirá amor, acima de qualquer coisa. Sabes porquê? Porque mais do que respirares amor entre quatro paredes, na casa que foi comprada também a pensar em ti, vais ler amor em cada olhar dos dois para ti. Vem de dentro para fora, contagia-nos! A história de amor dos teus pais é rara. E por isso especial. Eu que me lembro de cada pormenor vou fazer questão de ser a tua contadora de histórias de serviço, só que neste caso nada é ficção. Tu vais crescer a ouvir o mais maravilhoso conto de amor que alguma vez há-de ser inventado… O deles, que também tem o príncipe que vem de longe para conquistar a mais bela princesa, que com entrega e amor se faz rainha com um propósito tremendo. Até a tua primeira casa (o ventre da tua mãe) foi há poucos dias cuidadosamente colocado em limpezas para te receber a ti em breve. Como vês, só falta mesmo tu apareceres!
Olha, bebé, estou ansiosa à espera do dia em que me caibas no colo e disseres o meu nome pela primeira vez. Como será que me vais chamar: mana, tia ou alguns dos infinitos nomes que a mãe já inventou para mim? Será que vais gostar de mim? Vou esforçar-me por te merecer. Assim como faço por regar a planta do que me une aos teus pais enquanto família e a cada um deles enquanto amigos. Eu já te amo, muito! Sabes que nunca “pedi” um bebé aos meus verdadeiros pais como peço aos teus? Num querer que é demasiado forte para ser explicado com os laços da utopia da nossa árvore genealógica. No entanto, há uma coisa importante que quero que saibas por mim: poucos vão ser os momentos em que eu serei maior do que tu, nenhuns vão ser os instantes em que poderei andar eu contigo ao colo, não vamos poder jogar à apanhada, vais ter de pedir a outra pessoa que te ensine a saltar à corda, não vais ver-me a andar na bicicleta ao lado da tua nem a amparar-te quando te sentares nela pela primeira vez, não vai valer a pena pedires-me para ir jogar à bola para o quintal contigo, não vou ser capaz de te dar banho uma única vez e quando for buscar-te à escola também não poderás contar comigo para te carregar a mochila pesada… Vais gostar de mim da mesma maneira? A culpa não é tua. Nunca penses isso. Também não é minha. Não é de pai ou mãe alguma no mundo. Se algum dia te sentires triste por eu não poder fazer nenhuma destas coisas contigo; ainda que te sintas assim por achares que eu também estou triste; não fiques e lembra-te sempre das coisas boas e diferentes que eu posso vir a fazer contigo e tu comigo. Podemos brincar ao faz de conta… faz de conta que és tu o mais velho e portanto tomas tu conta de mim, boa?!
É que a tua responsabilidade neste mundo é imensa e ainda nem o conheces… mas não tenhas medo, terás sempre aqui uma alma (com pouco corpo) para te acompanhar. Prometo-te que sim. Ao mesmo tempo que te aviso: seres o filho de quem vais ser é de facto por si só algo que fará de ti um grande Homem, por isso orgulha-te e agradece a Deus esse presente.
Ah, é verdade, lá em casa (para além de mim que passo lá a vida) também tens dois gatos, o Gaudí e a Matilde. Trata-os bem que eles também já gostam de ti!

Da tua "irmãzinha" MAFY
 
Fonte:  http://gotanocharco.bloguepessoal.com/
  
Para comprar o livro dessa grande escritora > http://lojinha.espaco-cucas.com/livraria/89-mafaldisses.html

O Imperfecta.

 Adriana Dias.

 

Tenho oi.
meus ossos são de cristal
e minha alma se reflete neles,
sentindo, expondo-se,
partindo-se, reconstuindo-se.

tenho oi
minha esclerótida é azul,
minha alma se reflete nela;
meus sonhos são azuis
e azul é o céu
onde minha alma plana,
ascende, encontra-se infinita.

tenho oi,
tenho marcas, cicatrizes
nos ossos, na alma.
tenho sinais na pele,
no rosto, nos olhos,
como todas as pessoas
mas de um jeito muito singular.

tenho oi
e na minha fragilidade
aprendi a respeitar todos os homens,
mulheres e crianças.

tenho oi
e faço dos meus sintomas
um caminho de cura,
de compreensão, de pode contar comigo.

tenho oi;
minha fragilidade me lembra do que é firme,
sólido, real:
a fé.

minha história me denuncia
o que movimenta adaptável:
a esperança.

minha compreensão de mim mesma e do outro
me permite o que é eterno,
insolúvel e inquebrável:
o amor.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Alma Guerreira


 ETAPAS DE MINHA VIDA...SOFRIDAS E VENCIDAS....


Era um sábado a tarde, eu só trabalhava de segunda a sexta. Estava no fundo do quintal lavando minha roupa  quando ouvi vozes dentro de casa. Entrei a tempo de ouvir o desgraçado dizer a minha mãe. Pegue suas coisas e suma daqui ! Imediatamente eu respondi por ela : ‘’Quem vai sair daqui é você, e desta vez é pra nunca mais  voltar seu cafajeste, sem vergonha, desgraçado e outros adjetivos que prefiro não repetir .Saia agora daqui e nunca mais coloque essas patas imundas aqui nesta casa e outra coisa quero você na segunda feira na primeira hora no cartório para passar a escritura desta casa no meu nome não é nem no nome de minha mãe , mas no meu nome !
Ele me olhou e com um sorriso irônico nos lábios disse: ''  Antes de fazer isso vou te deixar uma lembrancinha minha !''. E ergueu o braço para me agredir, fui mais rápida que ele, peguei uma cadeira e quebrei na cabeça dele, a seguir peguei uma faca de mesa e disse : “Venha já faz muito tempo que quero fazer isso  e é hoje que vou te matar desgraçado infeliz.!’’
Há que Deus me perdoe, mas se ele encara se eu matava ele ali mesmo. Mas ele não fez isso não,saiu derrubando tudo pelo caminho, me xingando, e dizendo que nunca passaria nada para meu nome, só que meu vizinho que ouviu tudo um Sr.responsável e sério sai no portão para segundo ele me defender caso fosse necessário. Chamou ele e disse umas verdades, inclusive que eu estava com cinco advogados a minha disposição e poderia deixar ele bem encrencado se eu quisesse. Bom para encurtar o assunto na segunda feira 9h. da manhã lá estava eu no cartório, a escritura já estava lavrada em meu nome assinamos e vim embora. Enfim livre daquele monstro.
Ele tentou várias vezes me cercar na rua, mas se deu mal, pois ameacei denunciá-lo na policia e ele sossegou, se procurou minha mãe não sei, nunca me contou. Mas meu ódio por ele continuava muito forte, ali guardadinho no fundo do meu coração e por conta disso quase fiz uma loucura. Certo dia sai cedo, muito cedo mesmo para comprar pão, meu vizinho estava molhando as plantas dele e me viu saindo, ele tinha um fusquinha vermelho bem lindinho e eu sempre brincava com ele dizendo: Um dia desses o Sr. deixa eu dar uma voltinha com ele? Ao me ver ele disse: ‘’Quer ir no meu carro ?’’ Eu agradeci e ele disse :’’Não vai e aproveita passa na feira e me compra umas coisinhas que preciso, por favor’’. 
Eu aceitei, peguei a chave e sai. Eu nem sabia dirigir direito, estava aprendendo ainda e quem  me ensinava era meu namorado, mas fui. Antes não tivesse feito isso. Fiz as compras e já estava voltando quando o monstro surgiu na minha frente de bicicleta. NÃO  PENSEI EM MAIS NADA HÁ NÃO SER EM ACABAR COM ELE. Acelerei e parti pra cima, meu DEUS hoje ao recordar disso chego a me arrepiar, ia estragar a minha vida pra sempre. Mas como DEUS sempre esteve comigo e nunca me abandonou, mais uma vez me mostrou o caminho certo. Um muro e a varanda de uma casa. Quando eu já estava quase em cima dele eu vi um pezinho, sim um pezinho de criança. Ele estava com uma criança na frente da bicicleta sentada na cadeirinha. Depois fiquei sabendo que era seu próprio filho um garotinho de 4 anos que a mãe abandonou com ele pois não aguentou os maus tratos também. 
Ao ver aquele pezinho meu coração parou, mas o carro não. Não dava mais tempo de parar, já estava quase em cima dele, virei o volante bruscamente e fui parar dentro da varanda de uma casa, que para minha sorte não tinha ninguém  sentada nela.Tenho uma cicatriz até hoje em cima de meu lábio superior que não me deixa esquecer desse acontecimento, ele nem viu nada. Seguiu em frente sem imaginar que poderia estar morto. Eu fiquei ali chorando, com o carro do vizinho amassado, menor sem carteira, mas aliviada e agradecida a DEUS por não permitir que eu carrega se nos ombros a responsabilidade de ter tirado a vida de alguém. Mais uma vez meus patrões entraram em cena e resolveram a minha situação, paguei o estrago do carro, a mulher ganhou um muro e uma varanda nova e ficou tudo bem. Segui minha vida agora em paz, tinha minha casa, tinha sossego, minha mãe estava comigo e a cada dia que passava se tornava mais minha amiga, pois eu aos poucos fui reciclando ela...rsrsrs
Ensinei ela a se vestir  melhor a se cuidar mais, a sair, passear porque antes ela era um bichinho do mato, o monstro não deixava ela usar calças compridas, e nem sair de casa sozinha. Não usava um batom na boca porque isso para ele era coisa de prostituta. Mas eu aos pouco fui mudando isso, e pasmem ela me saiu melhor que encomenda.TAMBÉM  QUEM NÃO GOSTA DE CONFORTO NÉ. RSRSR.
Enfim parecia que tudo estava caminhando para melhor  na minha vida. Aos poucos eu ia esquecendo as maldades que ele fazia comigo, como o envenenamento de meu cachorrinho picolé, a acetona que ele jogava em minhas roupas novas que eu comprava, natal sem presentes, as noites angustiadas em que eu ficava sozinha desde bem pequenina, onde eu sentia as ratazanas passearem sobre meu corpo, em um quarto de madeiras velhas e sujas e cheia de buracos de onde saiam esse animal asqueroso, as noites em que eu acordava com aquela boca asquerosa e aquelas mãos malditas e atrevidas me tocando. Enfim vida nova.É como eu sempre digo:
’UM DIA EU VOU CRESCER, VOU SER ADULTA,VOU VIRAR GENTE GRANDE E NÃO VOU DEIXAR NINGUÉM MAS NINGUÉM MESMO ME MAGOAR MAIS’’
E ACHO QUE FINALMENTE ESSE DIA CHEGOU...CRESCI, VIREI GENTE GRANDE, FIQUEI RESPONSÁVEL POR MINHA MÃE COM 18 ANOS. EU JÁ TINHA UMA CASA PARA MANTER E MUITAS COISAS PARA MUDAR A COMEÇAR POR MINHA MÃE, APESAR DE QUE RESPONSÁVEL POR MIM MESMA EU JÁ ERA DESDE OS 7 ANOS DE IDADE.  É muito importante que a gente consiga domesticar nossos sentimentos. Construi amigos, enfrentei derrotas mais, venci obstáculos, bati na porta da vida e disse-lhe:  ‘’Não tenho medo de vive-la. No meu próximo relato, vocês  irão conhecer uma nova etapa de minha vida, e garanto a vocês que tem muita coisa  para contar!’’
Agradeço a todos que me acompanharam neste período  e me aguardem, pois tenho coisas  hilariantes e maravilhosas de minha vida a vocês. Inclusive a presença de Deus me ensinando e me mostrando que nunca estamos só...

sábado, 6 de novembro de 2010

Astro Inteligente



Signos

Depois de abrir este e-mail, não há mais volta. Abaixo estão verdadeiras descrições de signos do Zodíaco. Leia o e-mail e encaminhe-o.  Isto é real, e se tentar ignorar ou mudar isto, a primeira coisa que você notará amanhã será um dia estranho, que só acabará à meia-noite.


ARIES - o Diabo de desafio enérgico

Confiante e entusiasta.
Divertido.
Ama um desafio.
EXTREMAMENTE impaciente.
Às vezes egoísta.
Fusível curto (enfurece facilmente).
Vivido, inteligência apaixonada e afiada.
Gosta de sair.
Perde interesse depressa - facilmente entediado.
Egoístico.
Inteligente
Mandão
Corajoso e afirmativo.
Tende a ser físico e atlético.
16 anos de sorte se você repassar.


VIRGEM - O Perfeccionista

Dominante em relações.
Conservador.
Quer ter sempre a última palavra.
Argumentativo.
Preocupado.
Muito inteligente.
Antipatiza com barulho e caos.
Ansioso.
Trabalhador.
Leal.
Bonito.
Fácil de falar.
Difícil de agradar.
Severo.
Prático e muito exigente.
Frequentemente tímido.
Pessimista.
7 anos de sorte se você repassar.


ESCORPIÃO - o Intenso

Muito enérgico.
Inteligente.
Pode ser ciumento e/ou possessivo.
Trabalhador.
Grande beijador.
Pode ficar obsessivo ou reservado.
Guarda rancor.
Atraente.
Determinado.
Amores que dão em relações longas.
Falador.
Romântico.
Pode ser às vezes egocêntrico.
Apaixonado e emocional.
4 anos de sorte se você encaminhar.


LIBRA - o Harmonizador

Agradável a todos os que estão em sua companhia.
Indeciso.
Tem um sex appeal sem igual.
Criativo, enérgico e muito social.
Odeia estar só.
Calmo, generoso.
Muito amoroso e bonito.
Gosta de flertar.
Cede muito facilmente.
Tende a deixar para depois.
Muito crédulo.
9 anos de sorte se você encaminhar.

AQUÁRIO - o Amado


Otimista e honesto.
Doce personalidade.
Muito independente.
Inventivo e inteligente.
Amigável e leal.
Pode parecer não emotivo.
Pode ser um pouco rebelde.
Muito teimoso, mas original e sem igual.
Atraente no lado de dentro e fora.
Personalidade excêntrica.
11 anos de sorte se você encaminhar.

GÊMEOS - o Tagarela

Inteligente e engenhoso.
Parece estar sempre de saída, muito falador.
Vivo, enérgico.
Adaptável mas com necessidade de se expressar.
Argumentativo e franco.
Gosta de mudança.
Versátil.
Ocupado, mas às vezes nervoso e tenso.
Fofoqueiro.
Pode parecer superficial ou incoerente.
Só e sujeito a mudança.
Bonito fisicamente e mentalmente.
5 anos de sorte se você encaminhar.


LEÃO - O chefe

Muito organizado.
Precisa de ordem nas vidas deles/delas - como estar em controle.
Gosta de limites.
Tende a assumir tudo.
Mandão.
Gosta de ajudar os outros.
Social e gosta de sair.
Extrovertido.
Generoso, amável.
Sensível.
Energia criativa.
Confiantes neles próprios.
Bons amantes.
Fazer a coisa certa é importante para Leão.
Atraente.
13 anos de sorte se você encaminhar.


CÂNCER - O Protetor

Emocional.
Pode ser tímido.
Muito amoroso e gentil.
Bonito.
Sócios excelentes para toda a vida.
Protetor.
Inventivo e imaginativo.
Cauteloso.
Tipo de pessoa sensível.
Necessidade de ser amado pelos outros.
Magoa-se facilmente, mas simpático.
16 anos de sorte se você encaminhar.


PEIXES - o Sonhador

Bom coração e pensativo.
Muito criativo e imaginativo.
Pode ficar reservado e vago.
Sensível.
Não gosta de detalhes.
Sonhador e irreal.
Simpático e amoroso.
Desinteressado.
Bom beijador.
Bonito.
8 anos de sorte se você encaminhar.


CAPRICÓRNIO - O Paciente

Pessoa agressiva e sábia.
Prático e rígido.
Ambicioso.
Tende a estar bonito.
Humorístico e engraçado.
Pode ser um pouco tímido e reservado.
Frequentemente pessimistas.
Tendem a agir antes de pensar e podem ser às vezes pouco amigáveis.
Guarda rancor.
Gosta de tudo que é diferente
Gosta de competição...
Obtêm o que eles querem.
20 anos de sorte se você encaminhar.


TOURO - o Resistente

Encanta, mas é agressivo.
Pode parecer enfadonho, mas não é.
Trabalhador duro.
Amável.
Forte, tem resistência.
Seres sólidos e estáveis e seguros dos modos deles/delas.
Não procuram atalhos.
Orgulhosos da beleza deles/delas.
Pacientes e seguros.
Fazem grandes amigos e dão bons conselhos.
Bom coração.
Amam profundamente - apaixonados.
Expressam-se emocionalmente.
Propenso a temperamento - acessos de raiva ferozes.
Determinado.
Cedem aos seus desejos frequentemente.
Muito generoso.
12 anos de sorte se você encaminhar.


SAGITÁRIO - O otimista


Favorece o ego.
Orgulhoso.
Gosta de luxo, e de jogar.
Social, gosta de sair.
Não gosta que lhe imponham responsabilidades.
Frequentemente fantasia.
Impaciente.


Aventureiro
Tem muitos amigos.
Coquete, gosta de flertar.
Conquistador e "galinha" enquanto não se apaixona de verdade.
Não gosta de seguir regras.
Às vezes é hipócrita.
Inconsequente, vive se arrependendo do que fala.
Antipatiza com espaços apertados e roupas apertadas.
Não gosta que duvidem dele.
Bonito por dentro e por fora.
14 anos de sorte se você encaminhar

  
Fonte: email recebido

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Vida após a morte



O que há do outro lado da vida? O que diz a ciência? É possível ter contato com quem já morreu? A incrível história de uma adolescente que intriga os médicos. Para a medicina convencional, um caso de epilepsia. Mas para um médico especialista, espíritos que tentam se comunicar. Em outro caso, pai e mãe que garantem se corresponder com o filho morto em um acidente. E ainda, um homem que afirma ter passado horas em um necrotério dado como morto.

A vida e a morte. Desde o nascimento do homem, um mistério espera para ser desvendado. O que é morte? O que acontece quando o corpo é tomado pela ausência de batimentos? A ciência tenta identificar como pessoas consideradas clinicamente mortas, de repente abrem os olhos e retornam à vida. Célia é paisagista e tem  47 anos de idade. Para ela a morte não significa o fim. Desde pequena ela afirma conversar com espíritos de pessoas que já se foram, ou como ela mesmo diz, almas que já desencarnaram. A certeza de que as conversas com pessoas mortas não eram frutos de sua imaginação, só viria anos depois quando Célia viveu uma  experiência de quase morte. Relatos como o de Célia são frequentes. Cada  pessoa tem uma maneira única de descrever o momento da passagem da vida para a morte.

Ficção? Realidade? É exatamente isto que a ciência tenta desvendar. Dr. Sérgio Felipe é médico psiquiatra e há anos trata casos que a medicina tradicional não consegue explicar. Raquel e Maria Rita são voluntárias e fazem parte da equipe do Dr. Felipe. Elas ajudam nos experimentos que tentam provar a existência de espíritos, ou melhor, de vida após a morte. Em uma sala que simula uma unidade de terapia intensiva, as duas voluntárias são  monitoradas. O objetivo é que elas entrem em transe. Raquel e Maria Rita  se definem como médiuns. Segundo elas, emprestam o corpo para dar voz aos espíritos. O especialista quer constatar o que acontece no corpo das voluntárias. O que sentem as duas mulheres que afirmam incorporar espíritos de pessoas que já se foram ? Para o especialista, a constatação das alterações físicas significa um avanço. Um elo embrionário de ligação entre a ciência e o mundo espiritual. A cada evidência um novo mistério é solucionado. É a nova face da ciência onde nem tudo pode ser comprovado.Paola tem dezesseis anos. Há três sofre de crises nervosas classificadas pela medicina como epléticas. Mas nem mesmo a ciência consegue achar a cura para Paola. Aos treze anos de idade ela teve uma crise classificada pelos médicos como epilética, a partir daí ela nunca mais se livrou das crises. Há poucos meses, Paola começou a frequentar o consultóro do Dr. Sérgio, que avalia as crises de Paola de uma maneira que a medicina convencional não consegue dimensionar. Durante a entrevista com Paola nossa equipe é surpreendida por uma de suas crises. Paola parece não ser a mesma adolescente do início da entrevista. Frágil, ela parece assustada sem entender muito bem o que aconteceu. Os pais acostumados a presenciar situações semelhantes tranquilizam Paola. Com medo a adolescente pede a presença do Dr. Sergio.

Os pais de Paola contam que no início, tudo parecia contornável. Achavam que o tratamento com medicamentos para epiléticos deveria resolver o problema, mas aos poucos as crises aumentaram e se transformaram. Os médicos já não conseguiam identificar se as crises de Paola eram somente eplepsia. Paola ficou um mês e meio internada, mas os médicos não conseguiram controlar as crises. Foi quando os pais decidiram procurar o Dr. Sérgio Felipe.

Na história da medicina, quando o coração de um ser humano para de bater significa que estamos mortos.
Para a ciência, a simples constatação de que o corpo não é mais comandado pelo cérebro, já basta como prova. Na contramão da ciência, a ausência de batimentos marca uma nova etapa,  um recomeço. É neste cenário que surgem novas dúvidas: qual o momento exato da morte? Quando a alma deixa nosso corpo? O que acontece depois? 

Em 2002 Agnaldo Santos foi vítima de uma tentativa de homicídio. A experiência mudaria para sempre a vida dele. Agnaldo afirma de que foi declarado morto e levado para o necrotério de um hospital de Osasco. Ele achou que nunca mais voltaria a andar. Durante nossa entrevista, ele relembra o que teria sido o momento mais importante de sua vida quando ultrapassou a barreira entre a vida e a morte. Em 2002 Agnaldo Santos sofreu uma tentativa de homicídio, recebeu três facadas e depois de horas no hospital, ele afirma que os médicos tinham certeza que ele estava morto. O hospital de Osasco não confirma a versão de Agnaldo.

O que dizem os cientistas e médicos diante de relatos tão surpreendentes como o de agnaldo? Para o diretor da unidade de psiquiatria do hospital das clínicas, Dr. Frederico Leão, a ciência trabalha com evidências. para o neurocirurgião Jorge Pagura, as versões de quem diz ter conhecido o outro lado da vida são semelhantes.

A ciência tem uma teoria. No momento exato da morte o nosso cérebro é bombardeado durante aproximadamente de 30 segundos a três minutos. Com a saída do sangue e a diminuição dos níveis de oxigênio, as células disparam um último impulso elétrico. Começa um  efeito  em cascata, que aumenta intensivamente a atividade do cérebro. Esta explosão cerebral é conhecida como “eqm” ou experiência quase morte, que segundo os médicos, pode ser a explicação de sensações como  flutuar sobre o corpo ou  enxergar luzes.

Nossa equipe segue para a cidade de Suzano no interior de São Paulo. Temos um encontro marcado com Rosa Miriam Batista, terapêuta que afirma ter contato com pessoas que já morreram . Hoje rosa consegue falar com naturalidade sobre suas visões e conexão com os que já se foram, mas quando criança teve dificuldade em encarar com tranquilidade tudo o que diz enxergar. Ela afirma até hoje conversar com mortos e carrega na memória lembranças de outras vidas.
Há um ano uma tragédia mudou  definitivamente a vida de João e Maria Del Carmem. Luis, o filho mais velho do casal, morreu em um acidente de carro. Era o início de uma dor que os pais já sabiam bem como era.
Luis, não foi o primeiro filho do casal a morrer. Pela segunda vez os dois, pai e mãe, teriam que unir forças para  superar o sofrimento inexplicável da perda de um filho.

Luis tinha 18 anos quando morreu. Era um adolescente extrovertido e tinha muitos amigos. A morte repentina arrasou a família que se agarrou na religião para amenizar a dor. Meses depois, o conforto chega através de  uma notícia vinda de um centro espírita frequentado por João e Maria Del Carmem. Médiuns dizem ter notícias de Luis, psicografam, interpretam, transcrevem  mensagens do filho que se foi.

Emocionado o pai lê um dos trechos das cartas que já somam dezenas e servem como um fio de esperança e conforto para o casal. É uma maneira de aliviar o sofrimento, matar a saudade de Luis, que foi tirado de forma violenta do convívio da família. Para os pais de Luis a ideia de que o filho vive uma outra vida no plano espiritual  é inconstestável. Fé? Alternativa para superar a dor?  Ou simplesmente fuga? Aos olhos da ciência a única verdade comprovada é a dúvida.

vídeos da reportagem
http://www.sbt.com.br/conexaoreporter/videos/Default.asp?id=8e2b45d280658835ff9613cbfc72b723
http://www.sbt.com.br/conexaoreporter/videos/Default.asp?id=9217a6f3edf2f971807caf24e685911b
http://www.sbt.com.br/conexaoreporter/videos/Default.asp?id=bfd6fbcb106e6f4a1ac6e8b920822e3a
http://www.sbt.com.br/conexaoreporter/videos/Default.asp?id=3e92ee85ee5ae32eb2bce5181cee7462

Fonte : http://www.sbt.com.br/conexaoreporter/

Assisti essa reportagem ontem no sbt, achei muito interessante, antigamente não era muito falado desse tipo de assunto, mais hoje em dia se tornou, natural interessante e curioso falar disso.

 Continuando o assunto achei essa reportagem também mais da revista veja.

Vida após morte




Se você pretende ser imortal, cuide bem daqueles
que continuarão a carregar seu
DNA, com carinho,
amor e, principalmente, dedicação"

Muitos cientistas, talvez a maioria, não acreditam em Deus, muito menos na vida após a morte. Os argumentos não são fáceis de contestar. Um professor de matemática me perguntou o que existia de mágico no número 2. "Por que você não acredita que teremos três ou quatro vidas, cada uma num estágio superior?" O que faria sentido, disse ele, seriam os números zero, 1 e infinito. Zero vida seria a morte; uma vida, aquela que temos; e infinitas vidas, justamente a visão hinduísta e espírita.
Outro dia, um amigo biólogo me perguntou se eu gostaria de conviver bilhões de anos ao lado dos ectoplasmas de macaco, camundongo, besouro e formiga, trilhões de trilhões de vidas após a morte. "Você vai passar a eternidade perguntando: ‘É você, mamãe?’, até finalmente encontrá-la." Não somos biologicamente tão superiores aos animais como imaginávamos 2 000 anos atrás. "É uma arrogância humana", continuou meu amigo biólogo, "achar que só nós merecemos uma segunda vida."
O cientista Carl Sagan adverte, como muitos outros, que vida só se tem uma e que devemos aproveitar ao máximo a que temos. "Carpe diem", ensinava o ator Robin Williams, "curtam o sexo e o rock and roll." Sociólogos e cientistas políticos vão argumentar que o céu é um engenhoso truque das classes religiosas para manter as massas "bem-comportadas e responsáveis".
Aonde eu quero chegar é que, dependendo de sua resposta a essa questão, seu comportamento em terra será criticamente diferente. Resolver essa dúvida religiosa logo no início da vida adulta é mais importante do que se imagina. Obviamente, essa questão tem inúmeros ângulos e dimensões mais completas do que este curto ponto de vista, mas existe uma dimensão que poucos discutem, o que me preocupa. Eu, pessoalmente, acredito na vida após a morte. Acredito que existem até provas científicas compatíveis com as escrituras religiosas. A genética mostra que você continuará vivo, depois de sua morte, no DNA de seus filhos. Seu DNA poderá ser eterno, ele continuará "vivo" em nossa progênie, nos netos e bisnetos. "Nossa" vida continua; geração após geração, teremos infinitas vidas, como pregam os espíritas e os hindus.
Mais interessante ainda, seus genes serão lentamente misturados, através do casamento de filhos e netos, com praticamente os de todos os outros seres humanos da Terra. Seremos lentamente todos irmãos ou parentes, uma grande irmandade, como rezam muitos textos místicos e religiosos. Por isso, precisamos ser mais solidários, fraternos uns com os outros, e perdoar, como pregam todas as religiões. A pessoa que hoje você está ajudando ou perseguindo poderá vir a ser o bisavô daquela moça que vai um dia se casar com seu bisneto.
Seremos todos um, católicos, anglicanos, protestantes, negros, árabes e judeus, sem guerras religiosas nem conflitos raciais. É simplesmente uma questão de tempo. Por isso, temos de adotar um estilo de vida "bem-comportado e responsável", seguindo preceitos éticos e morais úteis às novas gerações.
Não há dúvida de que precisaremos curtir mais o dia-a-dia, mas nunca à custa de nossos filhos, deixando um planeta poluído, cheio de dívidas públicas e previdenciárias para eles pagarem. Estamos deixando um mundo pior para nós mesmos, são nossos genes que viverão nesse futuro. Inferno nessa concepção é deixar filhos drogados, sem valores morais, sem recursos, desempregados, sem uma profissão útil e social. Se não transmitirmos uma ética robusta a eles, nosso DNA terá curta duração.
"Estar no céu" significa saber que seus filhos e netos serão bem-sucedidos, que serão dignos de seu sobrenome, que carregarão seus genes com orgulho e veneração. Ninguém precisa ter medo da morte sabendo que seus genes serão imortais. Assim fica claro qual é um dos principais objetivos na vida: criar filhos sadios, educá-los antes que alguém os "eduque" e apoiá-los naquilo que for necessário. Por isso, as mulheres são psicologicamente mais bem resolvidas quanto a seu papel no mundo do que os homens, com exceção das feministas.
Homens que têm mil outros objetivos nunca se realizam, procurando a imortalidade na academia ou matando-se uns aos outros. Se você pretende ser imortal, cuide bem daqueles que continuarão a carregar seu DNA, com carinho, amor e, principalmente, dedicação. 

O TEXTO ABAIXO FOI COPIADO DO FÓRUM - RELATÓRIO ALFA, O QUAL REPRODUZ UMA MATÉRIA DA REVISTA VEJA, DE MAIO DE 2005.

Os Vivos e as outras Vidas


É possível que a existência humana, tão complexa e rica, se dissolva quando o coração pára ? Com uma resposta prática para essa questão crucial e a promessa de comunicação direta com os mortos, o Espiritismo tornou-se a religião – ou, pelo menos, a segunda opção religiosa – de 40 milhões de Brasileiros.
..............................
Gabriela Carelli, Editora

O homem passa boa parte do tempo projetando o futuro. Descobrir o mundo, aprender novas lições, apaixonar-se, gerar e criar filhos, perseguir objetivos, aspirar à felicidade. Tudo isso compõe um ritual de celebração da vida e torna tão rica a aventura humana que uma reflexão crucial se impõe: é possível que a existência, tão complexa, se dissolva feito fumaça assim que o coração e o cérebro param de funcionar? Desde tempos imemoriais o homem se recusa a acreditar nessa fatalidade. Todas as religiões, sem exceção, enxergam na morte o início de outro tipo de existência, que começaria pela sobrevivência de uma parte da essência humana – chame-se a ela de alma, espírito ou qualquer outro nome. A crença na vida após a morte é universal. Os brasileiros, claro, não são exceção. Entre nós, talvez mais do que entre outros povos, não apenas se crê na eternidade da alma, mas se dá como certo que a reencarnação e a comunicação com os mortos são possíveis.

Há nisso um sincretismo religioso tipicamente brasileiro. De acordo com o IBGE, 72% dos brasileiros declaram-se católicos, e a doutrina da Igreja Católica não concebe a comunicação direta entre mortos e vivos. Pelo menos não entre mortais comuns e mortos idem. A comunicação entre santos e mortais é admitida pela doutrina católica. Mas apenas quando ocorre um milagre. Coisa rara, como se sabe. Na prática, boa parte desse contingente católico também dirige sua fé ou sofre a influência de outro credo que cresce no Brasil : o Espiritismo. Segundo essa doutrina, codificada em 1857, na França, por Allan Kardec – pseudônimo do pedagogo Hippolyte Léon Denizard Rivail –, a alma de todo ser humano morto reencarna tantas vezes quantas forem necessárias para que, devido às boas ações, ela se purifique. Quando atinge o patamar mais alto, torna-se um espírito puro, livre de imperfeições, e não mais retorna ao corpo físico. O Espiritismo também crê que, com algum treino, qualquer pessoa pode se comunicar com os mortos. A questão é : Para que fazer isso ? Há várias respostas possíveis. A primeira é receber conselhos e orientação daqueles que já superaram os constrangimentos da existência corpórea. A segunda diz respeito à dor humana. Imagine uma mãe que chora a perda de um filho. Pode haver mais conforto que um contato espiritual, no qual ele lhe assegura que passa bem na vida póstuma ?

No princípio era o medo. E o medo se fez crença. Para o sociólogo alemão Max Weber (1864-1920) essa seria a maneira mais simples de explicar o surgimento das religiões nas sociedades humanas. Por temor à fome, aos perigos e à morte, em determinada fase de sua evolução cultural, a humanidade apegou-se ao fervor religioso. Com ele veio a crença na vida eterna e no renascimento da alma e até do corpo físico em uma ou sucessivas existências. Veio também a idéia de que é possível a comunicação entre vivos e mortos. De uma maneira ou de outra, as convicções acima estão presentes em quase todas as religiões, mesmo nas que renegam essas facetas. Quando um católico reza para um santo de sua devoção ou quando, em caso de milagre, uma figura sagrada lhe aparece em carne e osso ou em forma éterea, está se dando uma espécie de comunicação entre vivos e mortos. Os Budistas negam a existência de uma alma substantiva, mas acreditam na transmigração do carma – conjunto das ações dos homens e suas conseqüências – em algo que só pode ser definido como espírito.


O Brasil sobressai nas estatísticas mundiais como a pátria do Espiritismo de inspiração kardecista – nome que deriva do francês Allan Kardec, estudioso positivista do fim do século XIX que produziu uma versão cientificista dos fenômenos religiosos focados na vida depois da morte. Segundo a FEB, mais de 40 milhões de pessoas seguem a doutrina de Allan Kardec no Brasil. Apenas 2% dos brasileiros se dizem Espíritas nos censos oficiais. A imensa maioria simplesmente acrescenta, sem drama de consciência, os ensinamentos de Kardec aos das religiões que professam oficialmente. Funcionam no país 10.000 Sociedades Espíritas. Eles eram apenas 3 000 no começo dos anos 90. Duzentas editoras publicam somente livros voltados para a Comunidade Espírita. Já foram vendidos 22 milhões de exemplares de sete livros escritos por Allan Kardec no Brasil.

A razão do sucesso é a mesma que alavanca esse tipo de crença em todo o mundo – e alavancou no passado: a rejeição da idéia de que o sofrimento, o som e a fúria sem significado da vida humana possam ser totalmente em vão.

"O Espiritismo conforta seus seguidores porque oferece explicações para todas as mazelas da vida e coloca o sofrimento como uma forma de purificação da alma", diz Antonio Flávio Pierucci, sociólogo especialista em religiões da Universidade de São Paulo. O Espiritismo é mais direto, mas oferece um produto bastante similar ao das demais religiões. Todas prometem um mundo melhor além-túmulo, em geral em contato próximo com o esplendor do Divino. O que o Espiritismo tem de próprio, ainda que não seja um monopólio seu, é o fato de acenar com a certeza de que, no futuro, haverá outras vidas, quantas forem necessárias, para tirar as manchas da alma. "A doutrina católica não ensina aos fiéis como lidar com a dor que os mortos deixam nos vivos nem explica as injustiças da vida. O sucesso do Espiritismo deriva justamente dessa capacidade", diz o frei Luiz Carlos Susin, professor de teologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

A crença maciça na reencarnação e na comunicação com os mortos não é um privilégio brasileiro. Uma pesquisa recente mostrou que 51% dos americanos acreditam em espíritos e 27% crêem em reencarnação. O que nos diferencia são a respeitabilidade alcançada por essas crenças na sociedade brasileira e as dimensões do Espiritismo no País.

Nos Estados Unidos, os negros e os índios cultivavam práticas semelhantes, mas elas foram perseguidas até a extinção pelos protestantes – para eles, o conceito de encarnação era coisa do diabo, não de espíritos.

Conclui Ceres Medina, antropóloga
Fonte: Revista Veja 

Filmes sobre vida após a morte :

1. Ghost  (( é muito lindo recomendo))
2. O Sexto Sentido (( da muito medo rsrs assisti mais morri de medo uiii ))
3. Os Outros (( da medo também rsrs recomendo mais não assista de noite ))
4. Amor Além da Vida (( é perfeito esse assisti  muito ele recomendo e muito ))
5. Cidade dos Anjos (( há é lindo demais para quem adora filmes romanticos e acredita em amor esse é o filme ideial))
6. A Casa dos Espíritos (( esse ainda não assisti mais parece ser muito bom, vo assistir ^^ ))
7. O Mistério da Libélula (( muito bom recomendo também ))
8. Um Olhar do Paraíso ((tambem ainda não assisti mais to anciosa pra assistir ele, parece ser muito bom  ))
9. Minha Vida na Outra Vida (( também vou assistir ^^ ))
10. Nosso Lar (( ainda não vi quase vi ele no cinema mais tava anciosa pra ver resident evil rsrs mais vo ver ele ^^ )
11. E se fosse verdade ( não poderia deixar de falar desse filme eh claro é um dos melhores filmes que já vi assisti mais de 8 vezes esse filme e ainda to procurando ele pra comprar é muito bom mesmo, incluse coloquei ele online no outro blog)
Espero que tenham gostado desse post, sei que fico enorme mais quando impolgo no assunto não tem jeito rsrs, espero que gostem também dos filmes ^^.
 

 
 Fonte: Imagens do Google

Milagres




Eu realmente acredito em milagres, mais em milagres mesmo milagres divinos, obra de Deus mesmo,se ele foi capaz de criar um ser tão perfeito como o ser humano porque não seria capaiz de fazer milagres em nossas vidas como forma de suas vontade, sim nosso ser supremo pode fazer milagres e nois da a prova dia-a-dia. Estamos aqui falando de milagres e não de conhecidencias como por questão de tempo, igual acontece com o atacante de futebol quando a bola passa (por questão de décimos) antes de a sua cabeça chegar ao que podemos chamar de ponto de encontro ou ela é desviada antes pelo pé de algum zagueiro. Mais sim de milagres aqueles enfermos realmente muito doentes desinganados pelos médicos, ou muitas vezes em qual voltam para sua casa para passar o pouco tempo que os restam com sua família.
Deus coloca a sua mão sobre tal, que acredita ser merecedor e faz La um belo milagre em sua vida, desde quando nada acontece se não for da vontade divina, nossas mentes são muito pobres em conhecimento ainda para entender a mente de nosso senhor supremo, mais tudo que ele faz é claro que é para nosso bem, afinal de contas ele é nosso Pai !  
O pouco de experiência que eu tenho, tenho ouvido sempre pessoas contando sobe milagres divinos acontecidos em suas vida, ou até mesmo na vida de amigos, parentes ou pessoas próximas.  Muitas pessoas se sentem desprivilegiadas por n terem tido um milagre divino pensando que só tem ele, quem é doente, mais sim todos nos vivemos de um milagre o milagre da vida, de poder viver, respirar, falar, sorrir, chorar, correr, gritar, comer, onde muitas pessoas não conseguem fazer coisas tão simples sozinhas, e mesmo assim são felizes e se sentem um milagre divino.
Estamos falando aqui da moça que andava pela rua, distraída pela rua e por questão de milímetros não fui atropelada por um ônibus Circular, um desses transportes públicos, sabe?  Da criança que passa correndo com o farol aberto, do médico em uma cirurgia muito complicado e chega a alguns segundos perder o seu paciente, á aquela mãe grávida que sofre um acidente de carro e não sai com um arranhão se quer, isso não seria milagre divino, se não for eu não sei o que é,não sei mais quem eu sou !

Definição de Milagre :  Milagre (do latim miraculum, do verbo mirare, "maravilhar-se") é um fato dito extraordinário que não possui uma explicação científica. Para os crentes, sua realização é atribuída à omnipotência divina, é considerado como um ato de intervenção de Deus (ou de deuses) no curso normal dos acontecimentos.

Milagre 

Talita, de apenas 8 aninhos, estava brincando, mas não deixou de ouvir os pais conversando sobre seu irmão, André, que estava muito doente. O pai falou emocionado:- É muito difícil admitir, mas somente um milagre poderá salvar nosso filho! Não temos nenhuma condição de pagar pela cirurgia que o Andrezinho precisa...só um milagre...
Ao ouvir aquilo, Talita correu para o seu quarto e pegou um vidro de gelatina cheio de moedas, escondido no armário. Contou três vezes para saber quanto tinha. O valor precisava ser exato, não podia errar. Em seguida, colocou o dinheiro de volta dentro do vidro e saiu de casa sem os pais perceberem.
Depois de andar bastante, Talita chegou onde queria, numa farmácia. Esperou o farmacêutico lhe dar atenção, mas nada. Esfregou os sapatos no piso, tossiu, e nada. Foi então, que pegou uma das moedas e bateu no balcão. 
O farmacêutico, olhou para ela, já irritado e perguntou:
- O que você quer, menina? – Ele nem deixou Talita responder e continuou:
- Eu estava conversando com o meu irmão que não vejo há anos e você vem me interromper...diga logo o que quer!
E, Talita, com a pureza de uma criança, falou:
- Meu irmãozinho André está muito doente...e eu vim aqui para comprar um milagre!
O farmacêutico ficou ainda mais aborrecido e disse:
- Ora, garota, não tenho tempo a perder com bobagens de crianças. Volte para sua casa!
Mas Talita não desistiu e disse ao farmacêutico:
- Papai e mamãe falaram que meu irmãozinho tem uma coisa ruim crescendo dentro da cabeça dele e que, só um milagre pode curar meu irmão... me ajuda, moço, preciso comprar esse milagre. Me diz, quanto custa?
Ao escutar a menina, o farmacêutico, mais calmo, respondeu:
- Não vendemos milagres aqui, menina. Desculpa, mas não posso ajudar você!
Talita, não acreditando no que o farmacêutico disse, implorou:
- Por favor, moço, eu vou pagar, eu tenho dinheiro. Se não der, posso conseguir mais dinheiro. Por favor, quanto custa um milagre?
Nesse momento, Nelson, o irmão do farmacêutico, apareceu. Se aproximou de Talita e perguntou:
- Que tipo de milagre seu irmãozinho precisa?
A menina, então, respondeu:
- Não sei... só sei que ele tá muito doente... a mamãe falou que ele precisa ser operado... mas o papai não tem dinheiro... aí eu quero pagar com esse dinheiro que tá aqui dentro do vidro.
Nelson, emocionado com a situação daquela menininha, perguntou:
- E quanto você tem aí dentro desse vidro?
E, Talita, respondeu baixinho:
- Dez reais e 11 centavos. É todo o dinheiro que eu tenho... mas se for preciso, posso arrumar mais.
Nelson pensou um pouco e disse para Talita:
- Puxa, que coincidência! Dez reais e 11 centavos, é exatamente o preço de um milagre para irmãozinhos.
Disse isso, pegou o dinheiro com uma das mãos e com a outra, pegou a mãozinha de Talita, dizendo:
- Me leve até sua casa. Quero ver se tenho o tipo de milagre que seu irmão precisa.
Nelson era um cirurgião, especializado em neuro-cirurgia. Ele operou o irmão de Talita com sucesso e sem custo algum. Meses depois, o menino voltou para casa completamente curado.
A família novamente estava reunida e feliz.
A mãe não se cansava de repetir:
- Foi um milagre ...um milagre real....gostaria de saber quanto custou.
Nesse momento Talita deu um sorriso. Ela sabia exatamente o preço daquele milagre....dez reais e 11 centavos, mais a sua fé.
LIÇÃO DE VIDA:
A fé é o começo de tudo.



Indicação do vídeo Alma Guerreira.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Alma Guerreira




ETAPAS DE MINHA VIDA...SOFRIDAS E VENCIDAS....

Então amigos como eu estava dizendo. O meu príncipe era mesmo poderoso na cidade,  kkkk e é turco.  Dono de uma concessionária da Wolks, de um aras de cavalos puro sangue, de três fazendas e de várias outras lojas na cidade. Nesse mesmo dia já fui para casa em um carro do ano importado, foram dois anos de minha vida  bastante movimentada. Há esqueci de dizer !  Eu estava noiva quando nos reencontramos de um oficial da aeronáutica, que morava em outra cidade. Tadinho com 30 dias desmanchei o noivado, devolvendo a aliança por carta.
Ufa ! Nesse intermédio de meu namoro e noivado teve outras histórias. Como sempre acontece comigo tudo diferente rsrsrs . Esse rapaz que foi meu noivo, já me paquerava desde lá atrás quando eu cantava, namorico de criança eu né, porque ele já tinha  mais idade. Só que eu ainda criança não sabia o que fazer, porque o monstro sempre me perguntava: Ta namorando? Como ele é?  É grande ou é pequeno? Já te beijou?  Ui era horrível ele me fazia as perguntas mais obscenas que se possa imaginar, a respeito dos meninos que ele via comigo sim ele via tudo, pois sempre me seguia.
Então eu não queria e não deixava ninguém me tocar. Quando nas minhas férias fiz uma pequena viajem, na volta encontrei ele meu noivo de nome W........no trem. Qual foi minha surpresa, um moreno lindo e simpático nem parecia aquele menino magrinho e feio de minha adolescência. Fiquei muito feliz em encontrá-lo terminamos a viajem juntos, na chegada ele me acompanhou até minha casa no mesmo táxi, muito cavalheiro, educadíssimo, já na aeronáutica. Começamos a namorar. Após 6 meses de namoro ficamos noivos, pensa...eu noiva...kkkkk Ficou combinado que nos casaríamos e eu  me mudava com ele para a cidade dele. Mas ai apareceu o turco né, eu me apaixonei perdidamente por ele e terminei o noivado.
Tive outros namorados, mas o monstro sempre se metia no meio e destruía tudo. Mas, antes de continuar essa história vou voltar  um pouquinho lá para trás. Assim vocês vão entender melhor o que aconteceu ! Desculpe, mas as recordações  agora vem aos borbotões na minha lembrança, e minha amiga aqui tá me cobrando  kkkkk...
Ufa! Como me recordo nitidamente de tudo. Voltemos, pois a minha casa e ao meu trabalho. Como já disse no capitulo anterior, eu estava trabalhando para 5 advogados, além de atender a gráfica e fazer revisão no jornal ainda fazia um bico a noite  em um escritório de contabilidade. Tinha uma vida bastante agitada e bem movimentada também. Resumindo eu sai as 7 da manhã e só voltava por volta de 11h da noite para casa. Minha mãe  que já me tratava bem melhor. Ai como dói dizer isso mas era a minha realidade. Todo o dinheiro que eu ganhava, entregava nas mãos dela e isso a deixava muito feliz. A ela não importava como eu ganhava, alías nem perguntava.
Acreditem meus amigos ’’EU COMPRAVA O AMOR DE MINHA MÃE’’Graças a Deus nunca odiei minha mãe, cobrei muito sim ! Cobrei seus carinhos, cobrei sua atenção, seus cuidados que nunca tive, mas isso é outro episódio que vou relatar mais adiante. Ela, minha mãe sempre me esperava a noite na varandinha de minha casa mas uma noite isso não aconteceu. Cheguei, encontrei a porta da sala  aberta, entrei estava tudo escuro, minha mãe estava  no quarto deitada com todas as luzes apagadas. Nossa casa como já comentei era super pequena não tinha como se esconder, entrei já perguntando o que houve, ela não respondeu, fingiu estar dormirdo, não tinha energia elétrica na minha casa.
Usavamos lampião de querosene. Acendi um e fui ver  o que tinha acontecido, quando olhei o rosto de minha mãe a revolta, o ódio, a raiva tomou conta de todo o meu corpo. O olho direito dela era uma bola de sangue, hematomas roxo em volta de todo o rosto  e marcas em seu pescoço. E ainda deixou um recado o desgraçado que dizia assim : ‘’A  próxima será você ! ‘’
Preparei uma salmoura com água fria natural tirada do poço, pois não tínhamos água encanada e nem geladeira, fiz compressas, cuidei dela como pude, e assim que raiou o dia providenciei um táxi e a levei para o hospital, lá todos me conheciam devido ao meu trabalho no jornal. Deixei ela internada, teve fraturas no nariz e no maxilar, fui para o meu trabalho ,lá chegando já encontrei um dos meus patrões vou aqui chamá-lo de Dr.K..  ele não conhecia a minha  história, aliás ali ninguém sabia  nada da minha vida, fora do trabalho.
Eu me sentei ao lado dele e disse: ‘’ Dr. K..tenho uma amiga que está passando por momentos muito ruins em sua vida, e veio me pedir ajuda hoje, será que o Sr. pode me ajudar me orientando, como ela pode agir?’’ Ele era advogado da vara de família no fórum. Contei o acontecido, inclusive que a amiga era assediada pelo padrasto. Nossa tive uma aula de direito, inclusive com o Dr. K se colocando a minha disposição para me assesorar se assim fosse necessário.
Acho que já disse  anteriormente que a casa que morávamos era o terreno comprado por minha mãe e  a casa construída pelas mãos de nós 3. Só que a escritura estava no nome dele, então eu precisava saber que direito eu tinha nisso tudo. Procurei meu outro patrão Dr. R...e fui perguntando o que queria saber ele exercia a advocacia trabalhista e me orientou dizendo: ‘’Esse homem não tem o que discutir é passar a escritura dessa casa imediatamente para o nome de sua amiga, caso contrário fale comigo e cadeia nele. ! ’’ Exultei !, estava chegando minha hora, quando ele soube então que esse homem era casado e que já vivia com essa outra mulher ‘’minha mãe’’ há 15 anos e que a amiga ‘’eu’’ era tutelada como filha, inclusive ele recebendo salário família em meu nome, disse: ‘’Se você quiser é só entrar na justiça. Ela tem o mesmo direito que os filhos legítimos uma vez que detém sua tutela e a menina é menor ainda.’’
Sai   do meu trabalho naquele dia com novas perspectivas de vida, finalmente eu ia me livrar daquela peste, não ia ser fácil eu sabia mas eu estava bem amparada agora com 5 advogados a minha disposição cada qual em uma área diferente eu podia chegar nele agora do jeito que eu queria. E cheguei, atropelei ! Passei por cima  e fui com tudo!





segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Alma Guerreira

ETAPAS DE MINHA VIDA...SOFRIDAS E VENCIDAS....



Nessa mesma época eu conheci um rapaz que como tudo na minha vida é diferente e esquisito esse também não foi diferente. Sai pra fazer serviço de banco para meu patrão em uma linda tarde de segunda feira. O banco era bem pertinho do escritório, fui andando quando, aproximou-se um rapaz, cabelos longos, barba por fazer e lindos olhos negros um rosto bem branco e um sorriso contagiante em cima de uma bicicleta onde só tinha as duas rodas e o guidon para ser conduzida, não tinha o selim, isto é o assento para sentar velha  e barulhenta, pneu careca aff.. enfim um esculacho.
Caindo  aos pedaços kkkkk ele se equilibrando praticamente em pé me disse  com a maior naturalidade.. Quer uma carona? Não respondi...e ele insistiu.....Oiiiii.Quer uma carona??
kkkkkk. Não consegui segurar o riso. Olhei para ele já rindo muito e respondei com outra pergunta>
Se eu aceitar,onde você  vai me colocar?  ‘’migas me ferrei!!!!!!’’
Ele imediatamente parou jogou a bicicleta no chão e me pegou no colo, isso mesmo ali na rua  pleno movimento da Av. Brasil centro da cidade, horário de pico. As pessoas todas passando e olhando e eu apavorada e pela primeira vez em minha vida sem reação, não sabia o que fazer. Ele disse: diga onde você vai e te levarei no colo, pasmem eu apenas balbuciei bem baixinho:  Vou no banco.
Era só atravessar a rua que  já chegava ao banco, e foi o que ele fez, ele atravessou a rua comigo nos braços, me colocou no chão com muito cuidado dentro do banco dizendo: Pronto minha princesa, quer que eu te espere? Eu apenas balancei a cabeça, pois nem falar eu conseguia. kkkkk fiz   o gesto que não.
Migas eu não sabia o que dizer, aliás eu já nem lembrava mais o que tinha que fazer no banco, apenas balbuciei..não..obrigada...ele fez uma mesura beijando minha mão, saiu e lá se foi catar a bicicleta dele que ficou jogada na calçada do outro lado da rua foi catar a bicicleta dele que ficou jogada na calçada do outro lado da rua. Eu, Aff  fiquei ali sem saber o que fazer ou com quem falar, meu rosto parecia que ia pegar fogo de tanta vergonha que eu estava.
Nem o nome dele eu sabia, nem de onde vinha,  corri na porta para perguntar, ele já tinha partido. Eu claro me senti uma princesa de verdade, nunca fui tratada com tanto carinho e tanto respeito e delicadeza. Mesmo desconfiando desse carinho todo eu me senti muito bem Isso tudo aconteceu em meados de janeiro de 1970. Nunca mais eu vi meu príncipe encantado. Fevereiro, mês de carnaval e eu adorava brincar carnaval, brincava as 4 noites seguidas era a primeira que chegava e a última que saia do clube.
Tinha só um clube social na cidade onde era freqüenta do pela nata da sociedade, e adivinha quem era o presidente? kkkk sim é isso mesmo, meu patrão, então eu estava em casa.
Nesse mesmo ano foi também realizada aqui no meu Estado a primeira transmissão da televisão ainda preto e branco e eu fui  filmada brincando o carnaval fantasiada de havaiana, mas assim bem simples mesmo apenas um sarongue nos quadris e uma mini blusinha com colar de flores e um arranjo de cabelo. E vejam o que é o destino ! Ele meu príncipe assistiu em outra cidade em uma roda de amigos me reconheceu  e disse: Essa garota vai ser minha namorada e minha princesa. Todos riram é claro. ‘’ Eu confirmei essa história tempos depois..’’
O escritório em que eu trabalhava ficava nos fundos de uma lanchonete e na qual foi minha surpresa dias depois ao sair do trabalho para fazer um lanche, quem eu encontro?
Logo entro  na lanchonete  pedi meu lanche percorri com o olhar as pessoas que ali estavam, não reconheci ninguém, o atendente disse: 10 mnts. e mando entregar, agradeci e sai.
Em 10mnts, meu lanche foi entregue por 1 rapaz lindo, bem vestido, cheiroso aparentando ter  uns 30 anos mais ou menos com um sorriso lindo disse: Posso lhe acompanhar no seu lanche minha princesa? AI... MEU CORAÇÃO DISPAROU SENTI MEU ROSTO CORAR E COMECEI A TREMER.
Sua princesa? Questionei, e ele Sim, hoje exatamente na data de hoje está fazendo 52 dias que carreguei uma princesa nos meus braços e nunca mais esqueci. Estava a sua procura, e o destino te trouxe de volta pra mim. É claro que a minha fome passou né.. kkk começamos a conversar, meu lanche ficou de lado e dai meus amigos teve inicio uma longa e linda história de amor.
Que duraram 2 anos e meio de muito amor, carinho e loucuras também porque ele é muito louco até hoje. Meu príncipe agora bem vestido, barba feita, cabelos cortados e encaracolados lindo de morrer era nada mais do que nada menos do que dono da metade da minha cidade. Empresário poderoso e bem quisto na cidade. Meu namorado dos olhos azuis, já fazia parte do meu passado, a sua família muito rica não permitiu nosso namoro, e ele ainda muito jovem não tinha vontade própria para lutar por mim...
Esses olhos azuis foram apenas namorico de criança, pois eu tinha só 14 anos e ele  se não me falha a memória 17 anos. Nos reencontramos mais tarde sim, mas isso vocês vão saber quando chegar a hora rsrsrsrs...,